Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

terça-feira, 20 de outubro de 2015

A Prática Fura-mai de Ueshiba O'Sensei

Como lemos anteriormente, Homma Sensei relatou que Mestre Morihei Ueshiba praticava o movimento Jo-no-mai, pela manhã, após a cerimônia matinal no santuário, o que despertava muita atenção. Embora muitos atribuam este fato ao Kagura ( ou Kagura-mai), designado como a Dança dos Deuses, Hikitsuchi Michio Sensei (que foi Uchideshi de O'Sensei, por cerca de 40 anos), relatava que O'Sensei designava esta prática como Fura-mai.

A Tradição do Teatro Noh apresenta os seguintes tipo de Mai: Chu-no-mai, Jo-no-mai (Movimento de tempo lento), Otoko-mai, Kami-mai (Dança dos Deuses), Gaku e Kagura. Porém esta prática é típica dos Santuários Xintoístas.

Kagura é a contração de Kami no Kura, que significa "aonde se recebe a divindade ou kami"; é também uma tradição Yamabushi.

Segundo a tradição, nos tempos imemoriais, Amaterasu Omikami (Divindade do Sol) escondeu-se em uma caverna, depois de brigar com seu irmão, Susano-o. a luz do Sol sumiu, e as outras divindades ficaram no frio e no escuro; o que os levou à dançar em volta da caverna para atrair a atenção de Amaterasu Omikami, para que ela saísse do esconderijo. assim,curiosa para ver o que acontecia, ela saiu da caverna e o sol voltou a brilhar; esta seria a origem do Kagura, porém existem diversas Mai

Podemos citar a Yama no Kami Mai, (Dança do Deus da Montanha), que é uma Hayachine no Kagura, dedicada ao irmão de Amaterasu Omikami, Oyamatsumi, que reina nas montanhas, nos mares e na guerra; na primavera é tido como o deus da agricultura. É durante a pratica da dança que ele exorciza os maus espíritos do ambiente, através dos gestos das mãos, conforme afirma a tradição. Esta cerimônia se realiza no Santuário de Hayachine, Prefeitura de Iwate.

Assim como existe a Kagura das Espadas, que comemora a vitória de Hoori Hoori no mikoto, também conhecido como Hikohohodemi no Mikoto, que na mitologia japonesa é o terceiro e mais jovem filho do kami Ninigi-no-Mikoto com a princesa Konohanasakuya-hime. Ele é um dos antepassados ​​dos Imperadores do Japão. Ele também é chamado Hohodemi e é mais frequentemente conhecido comoYamasachihiko ou o príncipe da montanha da fortuna.

Como Ueshiba O'Sensei incorporou vários elementos na sua prática, passou a denominar Fura-mai.

O'Sensei considerava o fator estético importante porém secundário, já que a finalidade seria a integração com a divindade e a harmonização com o movimento do Universo; por isso o movimento ser circular, reproduzindo o movimento circular que encontramos no Cosmos e na Natureza; que ele afirmava ser um processo interligado com a prática do Aikido, pois é o ápice de um processo iniciado pela prática do próprio Aikido.

Segundo a Tradição, quando consultamos o Kojiki, um dos livros mais antigos do Japão, Kagura seria a mais antiga forma de dança no Japão, cuja origem nos levaria às raízes das nas danças míticos baseadas na cosmogonia japonesa.

Segundo Hikitsuchi Michio Sensei, Fura Mai (ou Kagura Mai) poderia ser definida como uma dança inspirada e de movimento circular, que através desta movimentação, se cria o fluxo de energia. Esta movimentação, traria uma harmonização com o movimento do Universo, como escreve Stanley Pranin Sensei, citando o próprio Fundador. Hikitsuchi Michio Sensei afirmava que Mestre Ueshiba dava suma importância para a esta prática, afirmando ser necessária a harmonia entre os praticantes, falando de uma dança tanto espontânea como geométrica: a bela ordem de Kagura-mai ou Fura -mai, surge não só da forma de círculo, mas também aos do quadrado e do triângulo, é o ato de não-cálculo e não-vontade consciente, mas um gesto "instintivo e intuitivo já implementado no inconsciente ".

Philippe Herr Sensei, define a prática do Fura-mai, executada pelo Fundador, como "Dança da Energia"

Artigos citam que o que vemos como um kata de Jo, na prática diária de O'Sensei, poderia ser a prática do Fura-mai, principalmente se tivermos uma das extremidades do Jo com a ponta aparada, semelhante a uma lança.

Boa Prática.

Oss.

Baseado em artigos sobre as tradições xintoístas e yamabushi japonesas, artigos sobre Hikitsuchi Michio Sensei e Ueshiba O'Sensei.

4 comentários:

  1. Buenos días Ricardo,
    Muy interesante este artículo sobre la inspiración de O Sensei en el Shinto y la naturaleza, muchas gracias
    y un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenos Días, Carina,
      Cada vez más, descubrimos un poco más de la vida de O'Sensei, que nos hace comprender mejor el Aikido.
      Muchas gracias por tu comentario.
      Abrazo.

      Excluir
  2. Muy interesante esta relación entre la mitología japonesa y la filosofía Aiki de Ueshiba. Me ha encantado el artículo Ricardo y he aprendido mucho leyéndolo. Muchas gracias por publicar.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola, Guillermo,
      Estés estudios me enseñan mucho, también, es muy rica la historia de O'Sensei. Estoy muy contento que tengas gustado.
      Muchas por tu comentario.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails