Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

sexta-feira, 6 de junho de 2014

A Arte da Espada de Sasaki Kojirō – Parte 2

Sobre a lenda, conta-se que Mushashi, propositalmente demorou mais de 2 horas, da hora marcada para chegar ao local do duelo, dizendo que esculpia um remo como ken (espada de madeira), para ser esta um pouco maior que a nodachi do adversário, e ao desembarcar na praia, com vestes e cabelos desarrumados, com uma Ken recém esculpida numa mão e um cobertor na outra, parecia estar querendo humilhar o adversário. O próprio Musashi diria mais tarde, que foi o duelo mais difícil de sua vida, por isso usou de artimanhas: desceu na praia com o sol nas costas, e esperou Kojirō Sensei, na areia dura perto do mar, obrigando-o correr na sua direção pela areia fofa, para cansa-lo.

Kojirō utilizou seu golpe supremo, "Tsubame Gaeshi", conhecido como o "vôo rasante da andorinha" e cortou uma fita que estava amarrada no pescoço de Musashi, passando apenas a poucos milímetros da sua jugular. o povo disse ao ver isso que o espírito de Kojirō ainda estava lutando contra Musashi e ele teve que gritar para que o espírito de Kojirō se dissipasse.

Apesar da lenda, algo aconteceu psicologicamente com Musashi, pois após este duelo, ou batalha (se tiveram outros participantes, como acham alguns autores) se retirou para cavernas nas montanhas, para escrever o chamado "o livro dos cinco anéis", alegando ter alcançado o despertar. Musashi nunca mais lutaria.

A lenda possui alguns enganos práticos e históricos, sendo que Harada Mukashi e alguns outros estudiosos acreditam que Musashi, talvez a pedido do senhor feudal, matou Mestre Sasaki com o auxilio de seus alunos, já que o clã Sasaki ao que parece era um obstáculo político ao Senhor Hosokawa, e o fato da derrota de Kojirō seria um retrocesso político para os seus adversários políticos e religiosos deste clã. O embate teria sido na ilha, talvez por sugestão do senhor feudal, para os seguidores de Mestre Sasaki não estarem presentes e nada testemunharem.

Sasaki Kojirō era extremamente veloz, sua técnica preferida era tanto respeitado e temido em todo o Japão feudal. O "Tsubame Gaeshi" foi assim chamado porque ele imitou o movimento de uma cauda de andorinha durante o voo de caça, por fazer mudanças bruscas de direção. Comentava-se que o corte era tão rápido e preciso, que poderia derrubar um pássaro em pleno voo. Não há descrições detalhadas sobre esta técnica, mas era comparada à técnicas do Itto-ryu Kinshi Cho Ohkene e do Ganryū Kosetsu To: dois cortes fortes e rápidos, para baixo e logo em seguida para cima. Mestre Sasaki criou esta técnica por volta do ano de 1605.

Sua vida é o tema de Genzō Murakami livro que leva seu nome, e existem relatos de que, embora pouco conhecida esta obra deste renomado autor japonês, é historicamente mais preciso em dados do que o romance sobre Musashi de Eiji Yoshikawa (esta última obra parece que concedeu mais destaque, mesmo sendo romanceado). Creio que todas as vertentes tem seus defensores, mas o mais importante é que ambos são personagens de grande importância na história

Boa Prática.

Oss.


Para Ler a Parte 1 - Clique Aqui

Baseado em textos sobre a vida de Mestre Sasaki Kojirō

4 comentários:

  1. Muchas gracias Ricardo por el relato de la segunda parte, parece que el maestro Sasaki le dió una lección a Mushashi con su técnica favorita, que lo hizo reflexionar y retirarse.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola, Carina,
      Es verdad tu observación, pero es una lástima que sólo hay unos pocos informes descubiertos sobre Sasaki Sensei;muchos artículos se basan en lo que lo libro de Eiji Yoshikawa sobre Mushasi nos cuenta.
      Muchas gracios por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir
  2. La historia siempre la cuenta el vencedor, así que nunca sabremos que sucedió realmente, no obstante la figura histórica de Sasaki merece todo los respetos y una busqueda lo más detallada posible.

    Un abrazo Ricardo y buen fin de a tod@s!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola, Guillermo,
      De hecho, el amigo, el ganador sólo cuenta su versión, aún más si tenemos un gran novelista y un gran editor por detrás.
      Muchos quieren hacer justicia histórica con Sasaki Sensei, para ponerlo en su lugar que le corresponde, un gran maestro de la espada.
      Muchas gracias por tu comentário y un excelente fin de para ti.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails