Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

segunda-feira, 10 de março de 2014

Inter-Ser ou Interdependência

Se a mente é comum a todos os seres, tudo o que vivenciamos é apenas uma parte de um todo interdependente, que podemos perceber através de nossos sentidos. Tudo está conectado, quebre-se um dos elos desta teia, e talvez não tenhamos esta existência como a conhecemos. Separadamente, cada elo não tem existência independente. Mestre Thich Nhat Hanh, escreveu:

“Se você for um poeta, verá claramente uma nuvem flutuando nesta folha de papel. Sem nuvem, não haveria chuva, sem chuva, as árvores não crescem, e sem árvores, não podemos fazer papel. A nuvem é essencial para o papel que está aqui diante de nós. Sem a nuvem, não há papel. Assim, é possível afirmar que a nuvem e a folha de papel "inter-são". A palavra "inter-ser" ainda não está no dicionário, mas combinando o prefixo " inter" e do verbo "ser" , temos um novo verbo , inter- ser. Sem nuvem, não temos papel, por isso podemos dizer que a nuvem e o papel inter- são .

Olhando mais em profundidade esta folha de papel, também vemos o sol. Sem o sol, a floresta não poderia crescer. Na verdade, nada poderia crescer, nós não poderíamos desenvolver. Portanto, nós também percebemos a presença do sol neste papel.

Papel e sol inter-são.

Continuando a observar, descobrimos também o lenhador que cortou a árvore e trouxe-a para a fábrica de papel. E vemos o trigo que nós sabemos que esse homem não poderia viver sem o seu pão de cada dia. É por isso que o trigo foi usado para fazer o pão que nutre o lenhador, está presente neste trabalho. E o pai a mãe são também o lenhador. Se olharmos desta forma, percebemos que sem todos esses elementos, esta folha de papel não poderia existir.

Observando ainda mais profundamente,

Também descobriremos ali a nossa presença.

Não é difícil ver que , quando olhamos para esta folha, ele faz parte de nossa percepção. Sua mente está lá e a minha também. Portanto, podemos dizer que tudo está presente nesta folha de papel. Você não será capaz de me mostrar uma coisa que não está lá - tempo, espaço, terra, chuva, os minerais do solo, o sol, a nuvem, o rio, o calor. . . Tudo coexiste com esta folha de papel. É por isso que eu acho que a palavra "inter-ser" deveria estar no dicionário.

"Ser, é inter-ser".

Você não pode "ser" apenas por si mesmo.

Você deve necessariamente inter-ser com todas as outras coisas.

Esta folha de papel é, porque todo o resto é. Suponha que tentou devolver um desses elementos à sua fonte. Suponha que reenviar a sua luz para o sol. Você acha que a existência desta folha de papel seja, então, possível?

Não, sem a luz do sol, nada pode existir. Se o lenhador retornasse à sua mãe, não teríamos mais o papel. O fato é que esta folha é composta unicamente de elementos "não-papel" e que se devolvermos estes elementos "não-papel" para suas respectivas fontes , não haveria mais papel, de maneira alguma. Sem estes elementos "não-papel" , como a mente, o lenhador , luz solar, etc . , não há papel. Ainda que esta folha seja fina, ela contém em si todo o universo."

Para termos acesso a esta consciência de não sermos partes separadas de um todo, é importante silenciar a mente: neste instante não existe mais a ilusão da separação. É neste instante que passamos ser observação."

Termino com esta frase de Timothy Freke:“Mas quando a mente está silenciosa, a realidade é vivida como vazia de toda separação. Não-eu. Não-você. Não-algo. Isto é o Zen.”

Boa Reflexão.


Oss.

Baseado no livro Le Coeur de la Compréhension de Thich Nhat Hanh e Zen-Palavras Básicas de Timothy Freke.


Texte en Français

4 comentários:

  1. Me recuerda al texto que publicó Carina el otro día remarcando la insignificancia del ser humano y sus problemas comparado con la grandeza del universo en si. En ese post comenté que formamos parte de un Todo (Cosmos) y que nuestra ausencia, de alguna forma, se echaria de menos. Con este post de Ricardo me reafirmo en mi teoría de que existimos para completar lo que sea que formamos.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenos Días, Guillermo,
      Esto bello texto del Maestro Thich Nhat Hanh es muy similas à las enseñanzas de O'Sensei, de que estamos inmersos en el poder (Ki) de la creación y todos tenemos la misma esencia;lo demás es ilusión.
      Muchas gracias por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir
  2. Buenos días Ricardo,
    Muy hermosa tu reflexión y las palabras del Maestro Thich Nhat Hanh, es cierto todos estamos conectados,
    un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola, Carina,
      Pienso que las palabras del Maestro Thich Nhat Hanh y de Timothy Freke, son perfectas; me gusta mucho leer los textos de ambos.
      Muchas gracias por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails