Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

domingo, 1 de dezembro de 2013

O Circulo Eterno (Ki e Movimento)

O criador da Arte Marcial, Korindo Aikido, Minoru Hirai Hanshi, explicou, em uma entrevista, seu conceito básico de “En Wa Ichi Gen”, que expressa com a figura do “Circulo que Gira Eternamente”.

Mestre Minoru começou seus estudos de Artes Marciais, com seu avô adotivo, aos 11 anos de idade, em 1914, o estilo de Kenjutsu Togun-Ryu Heiho, e em 1918, o estilo Okumura Nito-Ryu. Além dos jujutsu Takenouchi-Ryu e Kito-Ryu, tambem estudou o sojutsu (yari, lança) Saburi-Ryu. Para Stanley Pranin Sensei, relatou que em seu aprendizado, em sua família, nestas Artes aprendeu a dar vazão ao Fluxo, principalmente quando lhe ensinam a Arte milenar do Yawara (não confundir com o artefato marcial com o mesmo nome, utilizado em outras Artes Marciais ou com o estilo marcial Yawara Jitsu). Mais adiante explicarei a etimologia da palavra e do termo a que Minoru Sensei se refere como uma designação, também, para jujutsu e, entre várias técnicas, incluía a prática doo Ken e Bo.

Para Minoru Hanshi o mais importante, que se começa aprender através da prática do Taisabaki, advinda do Yawara-Ryu, com a prática do movimento e da respiração, não havendo forma (kata) pré-concebida; embora parecendo paradoxal, ele afirma que não se pode associar movimento e respiração a uma técnica específica. Segundo este conceito, a cada situação ou evento, teremos uma ação, uma movimentação espontânea repleta de Ki; isto acontece quando corpo e respiração atuam por si mesmos, com o aparecimento do movimento circular espontâneo e natural, que flui por si só.

Este Taisabaki de Yawara que deveria ser o primeiro ensinamento a ser praticado e aprendido no Dojo, a “Fonte do Principio do Círculo” ou “Circulo como Fonte única” (En-wa ichigen), do “circulo que gira eternamente”, como ele explicava; quando tomamos consciência, através desta prática, que a vida e os outros eventos, acontecem por si só, assim compreendemos a nos deixarmos ser levados pelo “fluxo do movimento e da respiração, que acontecem por si mesmas”.

Naquele instante da prática, alunos e instrutores, podem experimentar o preenchimento pelo Ki Impermanente (ou da Impermanência), quando todos podem ficar cada vez mais relaxados, premissa para o aparecimento do movimento circular espontâneo.

O termo “En-wa ichigen”, tem uma bela conceituação se observarmos os seus kanjis, o que nos faz compreender o que Mestre Minoru explicava:

O primeiro Kanji, En significa círculo. Já o Kanji Wa, tem uma significação mais ampla:harmonia, paz, representando, também, a forma curta de Yawa (rageru), Yawa(ragu), nago(mu)- suave, calmo nago(yaka) gentil, agradavel,suave. Ichigen significa Fonte Única. Wa também faz alusão ao Japão e a Paz.

Interessante que o Kanji Wa tem um outro kanji como representante para Yawara que é Jū ou Nyū, que significa gentil. Quando associamos ambos kanjis, temos a palavra Nyūwa (ou Yawara), que significa mansidão e gentileza, caracterizando bem os ensinamentos de Minoru Hanshi da não-contração, dos movimentos e respirações naturais.

Mestre Monoru, ensinava que através desta prática, o ser humano permite que o fluxo de Ki e da Criação, se faça incessantemente através dele próprio, se tornando cada vez mais gentil, alegre e repleto de Compaixão; que este é o principio da Unidade e da Paz, aonde não existem conflitos, quando atingimos a Consciência.

Nos é solicitado que pratiquemos com sinceridade, alertando que não tendo nada a ver com privilegiar a forma física, pois em seu conceito, visar apenas adquirir um excelente condicionamento físico e técnico, sem praticar o aspecto espiritual do Budo, não está na prática do Caminho ou Michi.

Termino com a frase de Minoru Hanshi:

“Eu acredito que o segredo é colocar o seu coração e a sua alma na prática das Artes Marciais.”

Boa reflexão.

Oss.


Baseado em entrevistas de Minoru Hirai Sensei.

                        “En-wa ichigen”


     
             "Nyūwa (ou Yawara)"

4 comentários:

  1. Buenas tardes Ricardo,
    Muy bonita la frase final, y si entrenar disfrutando en el aquí y ahora, y el concepto de práctica en círculo también es muy interesante
    gracias por compartirlo
    un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas Noches, Carina,
      Realmente son muy bonitas las enseñanzas del Maestro Minoru Hirai.
      Muchas gracias por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir
  2. Muchas gracias por la reflexión Ricardo, yo continuo intentando adquirir la respiración correcta durante la práctica, todavía tengo que pensar en ellas para realizarla, espero que con el tiempo no tenga que hacerlo.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola, Guillermo,
      Es verdad, amigo, es siempre una práctica constante, la toma de conciencia de la respiración y despues que sea de forma espontánea.
      Muchas gracias por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails