Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

A Prática da Não-Contração – Parte 1

Uma das coisas que me levou ao estudo do Shin’ei Taido e do Sogobudo, foram os estudos e a prática de Shigeru Egami Sensei; os conceitos que me foram transmitidos, são muito próximos do Aikido. Conceitos de uma fonte única para todas as Artes Marciais, de que o ser humano não pode esquecer-se de sua parte espiritual, que tudo é unidade, que não existem adversários e sim pessoas com medo, de que toda vida é preciosa, de que a natureza é preciosa; entre tantos outros. Encontrei muitos textos que falavam da pesquisa incessante de Egami Sensei, após a volta de Tadao Okuyama Sensei ao Dojo de Waseda; este último com uma técnica indefensável e extremamente devastadora. Muitos graduados de Waseda, após este acontecimento, inclusive Egamei Sensei, vão estudar com Okuyama Sensei e Noriaki Inoue Sensei. 

Egami Sensei escreveu tanto sobre a técnica, mostrando as dúvidas e descobertas de um praticante, sobre o aparente paradoxo da utilização da força muscular extrema e a eficácia da prática de relaxamento, levando a uma postura física e mental, em que o Ki circula livremente, tornando a técnica extremamente eficaz.

Egami Sensei cita em seu livro: "Os animais não são musculosos, por que um homem deve ser? Maleabilidade e flexibilidade são características naturais do corpo humano; rigidez é a marca da morte."

Devemos lembrar, que Tadao Okuyama Sensei e Shigeru Egami Sensei foram instrutores de Mitsusuke Harada Sensei por anos; e que além deles, também foram discípulos de Inoue Sensei : Aoki Sensei, o filho de Egami Sensei, ,Kawanabe Sensei, entre outros.

Segundo Kenji Tokitsu Sensei, que também pesquisou incessantemente a ação da energia na Arte Marcial, ele começa a perceber que a solução para a não-tensão na prática marcial, seria alcançar a unidade da mente e do espírito. Sobre isto, escreveu Egami Sensei:

“Eu refleti sobre o assunto, eu sofri, me atormentado e acabei descobrindo que existe um método espiritual Shinpo pelo qual a força está concentrada na técnica. A verdadeira força só aparece quando o corpo e o espírito são um só. Com essas conquistas eu, mais uma vez, me submergindo em treinamentos que me fazem superar a situação primária da arte do combate, o estado animal de combate, onde você busca ganhar a qualquer preço e sim se esforçar para alcançar uma fusão com o meu adversário. Eu saí do mundo de conflitos e encontrei-me em um mundo de harmonia e eu entendi que era dessa forma que eu seria capaz de encontrar o caminho, o verdadeiro caminho do Karate. A idéia de Harmonia e da forma como pode parecer frágil e fraco para um iniciante ou aqueles que valorizam o lugar da força física, mas não há nada mais forte do que a harmonia e o caminho, porque eles são colocados no pico mais alto da pesquisa dentro de uma Arte Marcial.”

Devido a extensão deste excelente texto, que nos mostra a caminhada e a evolução dos conceitos, resultantes da pesquisa e observação do trabalho de não-tensão (seja mental ou muscular) e tomada da consciência corporal; este texto será dividido em partes.

Vários autores fazem uma classificação interessante, dividindo em duas as tendências principais no que diz respeito à sua atitude em relação ao que consideram estudo de uma técnica eficaz: o estilo da “contração” e o estilo da “não- contração”. Cita-se, que quando o Mestre Gichin Funakoshi introduziu o Karate no Japão continental de forma definitiva em 1922, este era considerado como uma Arte Marcial de auto-defesa, de Okinawa com influência das Artes Marciais chinesas . As técnicas seriam realizadas com posições corporais mais altas; como pode se visto em vídeos antigos. Tecnicamente, defesas e ataques eram técnicas de braço e punho; muito poucas técnicas de perna; desde aquele período, posturas e técnicas têm sido amplamente pesquisadas, segundo escreveu Egami Sensei.

Quando Gichin Funakoshi O’Sensei começou a expansão de sua Arte na década de 1930, com mais de 60 anos de idade,ele tem uma forte aceitação e crescimento dentro do círculo universitário; porem, muitos estudantes, pareciam não compreender bem o que O’Sensei lhes ensinavas. Mestre Shigeru Egami mencionava que achavam que O’Sensei aplicava golpes de uma forma não-contraída; e a maioria dos alunos acreditava que ele assim o fazia por não ser capaz de tensionar seus músculos, devido à idade. Mestre Mitsusuke Harada também menciona como a técnica de Mestre Funakoshi conseguia parecer enganosamente suave: “O velho Mestre golpeava o makiwara mil vezes por dia , para a esquerda e para a direita levemente, soltando um suave som ‘hoi’; os socos de Funakoshi não pareciam fortes para o observador , mas eram, de fato , muitos poderosos .”

Em outro relato de Harada Sensei, o Mestre Funakoshi diz para o jovem discípulo: “Isto é como Itosu (ou Azato , Mestre Harada não se lembra ao certo qual dos dois foram citados por O’Sensei) poderia parar um homem”; e, logo após, Mestre Funakoshi o iria tocar levemente com um ippon -ken no tórax.

Mesmo sendo ensinados ao estilo da não-contração, os estudantes mais jovens treinavam com contração porque acreditavam que a contração era a forma certa de executar técnicas eficientes e fortes. No final dos anos trinta e década de 40, um espírito militarista prevalece, e, quando Yoshitaka (Gigo) Funakoshi Sensei, assume a instrução no lugar de seu pai , em 1932, depois do falecimento de Takeshi Shimoda Sensei devido a um processo pulmonar (gripe ou mesmo uma tuberculose não bem diagnosticada, Waka (Gigo) Sensei, sente estar muito doente (sua tuberculose, que vinha desde a infância, evoluía, que o levou ao óbito por gangrena ou abscesso pulmonar), e, parece ter enfatizado um treinamento forte, novamente. Alguns autores acham que, possivelmente, ambos fatores poderiam ter revivido o estilo de intensa contração muscular. O próprio Egami Sensei, no passado,também foi acometido de tuberculose pulmonar.

Kase Sensei cita em uma entrevista, que o próprio Waka Sensei, pede ao seu discípulo Tadao Okuyama para continuar as pesquisas de um caminho para a evolução da técnica. Depois disto, Okuyama Sensei, sai de Waseda, por anos, atendendo ao pedido de seu Mestre. Sabemos que ele foi para o núcleo da Omotoo Kyo,
 após a morte de Waka Sensei, e se torna discípulo de Inoue Sensei, com quem treinou por anos, até retornar a Waseda.

(continua)


Baseado em artigos sobre Egami Sensei e o seu livro The Way of Karate , Beyond Technique.


Para Ler a Parte 2 - Clique Aqui

4 comentários:

  1. Buenas tarde Ricardo,
    Muchas gracias por compartir este extenso artículo sobre la similitud de algunas artes marciales. He leído muchas veces que las artes marciales contribuyeron a fortalecer la salud de los que cuando empezaron su práctica tenian una salud frágil.
    un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas Tardes, Carina,
      Shigeru Egami, Tadao Okuyama, Kenjiro Kawanabe, entre otros, eran de una generación de Senseis muy especiales porque eran discípulos de Maestros muy especiales, al mismo tiempo: Funakoshi O'Sensei Funakoshi (Gigo) Sensei y Noriaki Inoue Sensei. Egami Sensei, publicó sus resultados de investigación y sus aprendizajes. Kawanabe Sensei prepara un libro para el próximo año; ya sobre Tadao Okuyama Sensei, no han encontrado publicaciones propias, era un Sensei muy reservado.
      Egami Sensei, sólo tuvo contacto con el Aikido, mucho más tarde, talvez despues del fallecimiento de Funakoshi O'Sensei, de acuerdo con Harada Sensei y otros de su generación, me parece que, durante un seminario, que conoció a Ueshiba O'Sensei (después de eso, no tenían más contacto, aunque muchos han escrito de lo contrario).
      Muchas Gracias por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir
  2. Es muy complicado relajarse totalmente al realizar Artes Marciales y tirar solo de técnica, no es una situación que se preste a ello, como por ejemplo puede ser escuchar música. No obstante entiendo que es a lo que debemos aspirar.

    Muchas gracias Ricardo, un abrazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenos Días, Guillermo,
      A pesar de que tenemos como un "modelo", con el fin de obtener la no-tensión, no se puede ser convertido en un deseo incesante, sino se convierte en otro elemento de tensión: ahí reside la paradoja.
      Cuando hay lo "complicado", es porque la mente está llena, hay un montón de mente todavía. Pero es así mismo, es una práctica diaria ..
      Un consejo simple Kawanabe Sensei, observar la respiración durante la práctica, con el tiempo, ampliar tu atención sobre el Hara, depues, poco a poco, para otras áreas del cuerpo, realizando la integración. Durante la ejecución de nuestra técnica, debemos exhalar el aire suavemente, como si "proyetarmos el aire" junto con Uke, junto con nuestra intención, por lo que el flujo de Ki se hace. Entonces se convierte en un movimiento natural, de cotidiano. Hay varios ejercicios con este objectivo, mientras que lo más sencillo es a meditar; también puede ser durante Kokyu-ho (Ikkyo Undo) o Kokyu Tenkan, por ejemplo.
      Gracias por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails