Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

terça-feira, 30 de julho de 2013

Compaixão e Kannon por Deishu Takahashi Sensei

Deishu Takahashi Sensei ou Deishu Koji (1835-1903), cunhado de Tesshu Yamaoka Sensei e Grande Mestre da Arte da Lança e instrutor de Artes Marcial durante o Shogunato Tokugawa.  

No Periodo Meiji, fez parte, assim como seu cunhado e outros tantos mestres e lideres, da Ryōmō Kyokai, que significa "Associação para o Abandono dos Conceitos de Objetividade e Subjetividade". Esta sociedade era composta de praticantes leigos de meditação Zen, sobre a orientação Soryu-kutsu Imakita Kosen Roshi, o chefe abade de Engaku-ji em Kamakura. Posteriormente, este grupo de meditação intensiva se chamou "Ryōbō Kyokai Zen" ou "Ryōbō Kai". 

Através de poesias e gravuras, Deishu Koji nos ensina que Kannon (Bodhisattva da Compaixão) faz o que for preciso para salvar os seres sencientes; nunca precisando de uma explicação ou razão, quando alguém quer ajuda, e escreveu:

"O verdadeiro despertar está além de perguntas e respostas.

Não há nada para afirmar ou negar,

Como Kannon, repouse na profunda sabedoria,

Estando o tempo todo presente no mundo..."

(...)

“Não temos um corpo divino.

Mas a Compaixão nos dá um corpo divino.

Não temos um poder divino,

Mas a honestidade pode nos dar um poder divino.

Não temos inteligência divina,

Mas a sabedoria pode nos dar inteligência divina.

Não podemos fazer milagres,

Mas se não criamos obstáculos, poderemos fazer milagres.

Não podemos salvar o mundo,

Mas a bondade nos habilitará a salvar o mundo.”

(...)

"Não há nada para explicar, nada para perguntar - esta é a verdadeira sabedoria.”

Boa Reflexão.

Oss.



Baseado em textos sobre Deishu Takahashi Sensei.

4 comentários:

  1. Buenas noches Ricardo,
    Muy bonita la reflexión de hoy y es muy cierta, sólo pensar en el último párrafo,
    gracias por compartirla
    un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas Noches, Carina,
      Realmente muy bellas y sábias palabras de Deishu Takahashi Sensei.
      Gracias por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir
  2. Ojalá sea cierto y podamos salvar el mundo, pero creo que hará falta algo más que bondad para ello. Muchas gracias por la refexión Ricardo.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buen día, Guillermo,
      La compasión es interpretada por muchos como típico de una persona débil, en este mundo que indica que se debe "ser poderoso y mejor que los demás." Esta es una confusión creada por el ego.
      Grandes Maestros del Budo como Deishu Takahashi Sensei, Ueshiba O'Sensei y Inoue Sensei, entre otros maestrosm enseñaban que la práctica del Misogi, lde la meditación y de la oración son importantes para adquisición de conciencia o despertar. Kawanabe Sensei me señaló que esta práctica es muy importante, que esto es "Michi"; me dijo que Inoue Sensei les enseñó que es inútil aprender la técnica más eficaz si no tienes el sentido de compasión.
      Gracias por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails