Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Budo e o Monte Kurama























O Monte Kurama (ou Kurama Yama) está a 570 metros acima do nível do mar, situado a 12 km ao norte do Palácio Imperial de Kyoto. Atualmente é muito fácil chegar a esta localidade partindo de Kyoto, seja de trem, ônibus ou carro ; hoje contamos com um pequeno trem para ascender. O templo (Kurama Dera) foi fundado em 770 para proteger a parte norte da capital imperial da época (Heiankyo); localizado no meio do caminho até o cume. Os edifícios originais foram destruídas várias vezes pelo fogo. O templo pertencia ao Budismo Tendai, mas desde 1947, é sede para uma nova seita chamada Kurama-Kokyo. A edificação principal foi reconstruída pela última vez em 1971.



Conta a Tradição, que há mais de seis milhões de anos atrás, o Maô-son no Kami, desceu ao Monte Kurama, vindo de Vênus, com a grande missão de salvar a humanidade. Uma antiga lenda conta que um meteorito de Vênus riscou o céu, e tendo quebrado em três partes: uma parte caiu em Kumano, outra no Monte Takayama e a porção que trouxe Maô-son, no Monte Kurama. Desde então, diz-se que o poderoso Kami regula o desenvolvimento e a evolução da humanidade e de todos os outros seres vivos na Terra.




Segundo a lenda, um monge chamado Gantei, em 770 teve um sonho que ele deveria deixar-se guiar para um lugar sagrado na sela de um cavalo branco. Ele seguiu as instruções do sonho e seu cavalo o levou até esta montanha, e subindo,foi atacado por um demônio, mas resgatado pela divindade budista, Bishamon-ten. Após isto, para agradecer, foi construído um pequeno templo budista naquele local (Bishamon-tem considerado o espírito protetor parte norte do Céu e correspondendo ao Sol).

Em 796, Isendo Fujiwara, oficial encarregado da construção do templo Toji, teve uma visão de Senju-Kannon, e orientado a construir templos e pagodes na montanha (Senju Kanzeon Bosatsu é Kannon Bodhisattva dos mil brações e associado a Lua). Em um sonho-revelação Fujiwara viu que havia uma ligação fundamental entre Bishamon-ten e Bodhisattva Senju Kannon; assim,o templo reconstruído de Gantei, tornou-se local para a adoração conjunta de Maô-son, Senju Kannon e Bishamonten.

Diz-se que o templo ficou conhecido como Kurama Dera (Templo do cavalo de sela), devido à Gantei e Fujiwara terem sido guiados até lá na sela de um cavalo.

Outras divindades Monte Kurama incluem Amida Butsu - Buda da Luz Infinita e da vida (Amida Nyorai na tradição esotérica), cuja estátua gigante se encontra na base deste monte, e a divindade de Fudo Myo-ô (o Uno Inamovível: aquele é inabalável, incorrompível), patrono das Artes Marciais e auxilia os seus devotos na prática do Dharma; cuja imagem está entronizada no Sojogadani Fudo Do,no alto das montanhas. Diz-se que com a prática da Meditação da “Chama Emissora” (Kasho zammai), Fudo-Myô exala uma chama e destrói todos os obstáculos cármicos.

Além disto, encontramos pequenos santuários dedicados a outras divindades do Xinto, como o Santuário de Kibune Jinja, dedicado a vários Kami como a divindade da água e o Yui no Yashiro, dedicado à divindade do bom casamento.




Kurama Yama é também um lugar importante para as Artes Marciais, por ser considerado o lar dos Tengu, que transmitem os segredos do Budo para os guerreiros mais dignos. Quanto a esta tradição, temos a figura de Minamoto no Yoshitune, cujo festival é na data de 15 de setembro; quando é adorado com seu nome de infância (Sanao),com exibições de Escolas de Kendo e Kenjutsu. Conta a Tradição, que este filho dos Minamoto, é separado de sua mãe e irmão, e enviado ao templo do Monte Kurama. O jovem passa a ser criado como filho do Clã rival (Taira), devendo receber instrução para ser monge e recebeu o nome de Ushiwaka-maru, passando a estudar as escrituras budistas, porem, passou a receber ensinamentos de esgrima e técnicas incomuns da figura lendária de cabelos brancos Sojobo, Rei dos Tengu.

O jovem também se tornou um mestre da estratégia tática, algo que viria a ajudá-lo a derrotar os Taira e recuperar a honra do clã Minamoto. Inúmeros locais históricos relacionados com ele ainda são identificáveis ​​na montanha,incluindo um monumento a ele, que está situado ao lado do templo Tokobo, onde viveu por quase dez anos. E no santuário Minamoto-no-Yoshitsune Do, acredita-se que foi o local Ushiwaka-maru usado para a prática de disciplinas marciais.

Na década de 1920, Morihei Ueshiba O’Sensei, costumava retirar-se no Monte Kurama para se submeter a um treinamento austero; levando, uma vez por ano, vários de seus melhores alunos (pela data, nos baseando em outros artigos, Inoue Sensei devia acompanha-lo). A alimentação era arroz, missô, ervas e um tipo de picles. Subiam a montanha às cinco horas da manhã, para orar e praticar Misogi; seguido por praticas com bokuto, quinhentos movimentos, e pratica de Taisabaki. Das 10h ao meio-dia eram treinadas em técnicas corporais. Após as 15 horas até as 17 horas, os discípulos se revezavam como Uke de O’Sensei, que treinava todas as técnicas.

Durante o período da noite, O’Sensei revia com os discípulos o treinamento físico e espiritual do período do dia; a cada três noites tinha um período de sessão de treinamento a partir da meia noite. Ueshiba O’Sensei dizia que seu Budo, como também afirmava Masahisa Goi Sensei, é uma Inori, uma oração em forma de movimentos para saúde, harmonia e prosperidade do mundo e tudo o que nos rodeia. O segredo, segundo O’Sensei está em harmonizar a si mesmo com os movimentos do Universo, para alcançar a Unicidade.

Boa Reflexão.

Oss.

Baseado em escritos da administração do Monte Kurama, de artigos de James Deacon Sensei e sobre Masahisa Goi Sensei.


Kinone Michi

4 comentários:

  1. Buenas noches Ricardo,
    Muchas gracias por compartir esta bonita leyenda sobre Kumano y también las costumbres de O Sensei cuando se retiraba allí,
    un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenos Días, Carina,
      Como lo sabemos, Kurama Yama tiene un papel importante en la historia de Artes Marciales, del Shintoísmo y del Budismo. Son innumerables escritos y artículos que leemos que hablan del Monte Kurama, como fuente de inspiración para grandes obras del Budo, así como para perfeccionamiento de las técnicas marciales, además de la búsqueda de la superación personal a través de la meditación y Misogi.
      Gracias por tu comentário y un excelente fin de semana para ti.
      Abrazo.

      Excluir
  2. Me estás poniendo los dientes largos Ricardo, vaya viaje tan provechoso, envidia sana!

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola, Guillermo,
      Ojalá alli estaremos en el próximo viaje.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails