Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

sábado, 29 de junho de 2013

Budo e Harmonização























Perguntei a Kawanabe Shihan sobre os ensinamentos do Budo de Inoue Doshu e quais foram as repercussões em sua prática marcial; foi quando ele me respondeu que o que lhe foi transmitido pelo Doshu, tem origem nos ensinamentos de Deguchi Onisaburo.


Shihan falou que Inoue Sensei era um homem muito forte, porem com uma espiritualidade e delicadeza imensas; que com a prática começou a perceber que ao invés de fazer repetições exaustivas dos katas e técnicas, se as fizesse relaxadamente, a energia e vigor logo se manifestavam. O Ki se manifesta, nos revigorando plenamente, através da respiração, da mente vazia e da prática sincera.

Em sua prática, os Kototamas tem destaque, a cada gesto tem uma entoação; estes vieram de estudos da Tradição; transmitidos por Inoue Doshu e Okuyama Sensei. A prática pode ser feita de mão livre ou com o bokuto; o importante é nossa mente está sintonizada com o Hara e sua energia. Me demonstrou movimentos circulares com o bokuto (ou bokken), utilizando a energia do Hara no Tanden; é uma prática muito bonita e diferente do que eu tinha visto até aquele dia.

Kawanabe Shihan sempre enfatizou a importância do Hara na prática, associado a respiração, movimento e ritmo são a origem desta força harmonizadora. A respiração funciona como as ondas do oceano, assim, as técnicas são expressão da respiração; seja uma técnica explosiva ou tranqüila, tem origem na respiração com o Hara.

Enquanto Shihan demonstrava o Hachiriki, entoando Kototamas a cada gesto, isto me levou a compreensão do que tinha sido falado antes: o importante é a nossa sinceridade em cada gesto, pensamento ou ação; assim passamos a nos harmonizar (afinar) com o Universo.

Comecei a perceber que nossa mente ocidental tende a interpretar o Kototama como uma “fórmula” ou “método” com a esperança de “controlar” alguma coisa.   Shihan falou que tanto os Kototamas como orar, nos leva a este patamar de mente vazia e harmonização; o mesmo se aplica as técnicas com bokuto ou mão livre. Foi muito bonito observar a delicadeza e firmeza de cada gesto.

Inoue Sensei falava que a força virtuosa se manifesta no ambiente, através do estudo da Afinidade (Harmonização); e que esta força estava sempre em movimento no Universo, assim se manifestando no plano em que estamos.

Boa Prática.

Oss.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Caminho das Raízes (Kinone Michi)


























Após chegarmos ao Kurama Dera, no Monte Kurama, Saito Kimiko Sensei nos levou ao Kinone Michi (Caminho das Raizes das Arvores), que é a estrada para o Santuário de Kibune. Era dia do Festival de Wesak, a primeira lua cheia de maio, que seria a época em que Sidarta Gautama alcançou a iluminação.

Este bosque, é referencia na história de Grandes Mestres e Samurais, foi o local que Mikao Usui alcançou a Iluminação, Morihei Ueshiba O-Sensei meditava e aprimorava sua técnica, aonde Minamoto no Yoshitune desenvolveu sua Arte do Kenjutsum entre outros. Também tem correlação com as práticas de Tadao Okuyama Sensei e Inoue Doshu.

Desde o inicio da caminhada, a partir da estação do Monte Kurama, são escadarias e ladeiras forte, porem a paisagem e a atmosfera é compensadora; uma atmosfera única e com pequenos santuários e muita água. A subida pelo outro lado é mais íngreme e muito mais cansativa.

É muito inspirador saber que Ueshiba O-Sensei e Mikao Usui andaram por este recantos maravilhosos. Ficava pensando quantos outros Grandes Mestres também. Chega um instante que nossa mente fica vazia e nos focamos sómente no instante presente.

Ao chegarmos ao Kurama Dera, uma visão magnífica, aproveitar para descansar e orar no Templo, pois a caminhada ainda não acabou. O Templo é muito bonito, assim como seus arredores.

Agora começa a parte mais íngrime, quando inicia a subida para a Floresta. Lembrar que além dos sapos cantantes, que estão ocultos na folhas e regatos, existem cobras e que devemos ficar nas trilhas.

A visão das raízes expostas é incrível, e quando chegamos a parte plana da floresta, é mais incrível ainda. É ali que Minamoto no Yushitune recebeu os ensinamentos do Grande Mestre Tengu (segundo alguns escritos, este seria um monge ou um sacerdote Yamabushi, talvez de tradição budista, que tinha cabelos brancos e um nariz avantajado); aprendendo a se locomover rápidamente entre estas raízes expostas e a manejar exímiamente a espada. Ueshiba O-Sensei relatou que aprimorou sua Arte da Espada também neste local. E finalmente chegamos ao local que Mestre Usui e outros Grandes Mestres meditaram; um local com um ambiente de muita Paz e Quietude.

Acho que as fotos falam por si. 























Agradeço a Mestra Olivia Saito Kimiko que muito gentilmente nos levou ao Monte Kurama e nos proporcionou momentos inesquecíveis.

Oss.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Budo e Kawanabe Shihan
































Em minha visita a Kawanabe Shihan em seu Dojo, este foi muito gentil, reservando um dia para me receber. Mestre Kawanabe me contou que a prática nos ensina a nos harmonizamos com o Universo, que nossas palavras e intenções, também nos levam a determinadas freqüências vibratórias. 

Durante sua prática, o Mestre demonstrou a integração de kototama com cada gesto, o que foi muito bonito de se ver. Estava na minha frente com o discípulo direto de Funakoshi O-Sensei e Inoue Doshu; que tinha convivido com Okuyama Sensei, Egami Sensei, Jigoro Kano O-Sensei e Maeda Sensei, entre outros.

Contou-me que foi através de seus estudos com Inoue Doshu e Okuyama Sensei, que foi desenvolvendo a sua Arte; mostrando-me os seus escritos, que transmitem muito da Tradição.

Na presença de Kawanabe Shihan, a cada explicação que recebia, começava a compreender as palavras de Inoue Doshu: o budo está além da técnica. É como perceber o aroma de uma flor, sentindo a sua essência; essência esta que é Universal. Neste instante, não existe “eu e o outro”, “isto e aquilo”, tudo é uno.

Mestre Kawanabe reforça a importância da oração, da reflexão e do esvaziar-se. 




























Após a prática, o Mestre com muita gentileza, fez questão de me servir um chá e me tirar mais dúvidas; sempre numa atmosfera de muita harmonia. 


Partilharei com vocês o que pude aprender com Mestre Kawanabe, a quem sou muito grato.

Boa Prática.

Oss.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails