Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Ki e seu Significado.



Como expliquei anteriormente, em outro artigo  (para ler clique aqui), o conceito de Ki é muito abrangente, com inúmeras designações, e isto pode ser observado na evolução de seu kanji. Ki é considerado, no Oriente, como presente tanto no microcosmo (interior dos seres viventes) como no macrocosmo (tudo o que é exterior ao corpo, incluindo o Universo Celestial)

Segundo Takashi Nakamura Sensei, observa-se que Ki se modula través do ritmo da respiração e ele possui um movimento interno latente, o que ele designou de “Sen Ki Nai Ko”. Além disso, resalta que Ki possui três aspectos básicos:

1- Presente na movimentação do ar das narinas e boca, em direção aos pulmões, para tonificar o sangue com a troca de gases;

2- O designado como “Kisoku”, quando circula pelo interior do corpo e pelos cinco sentidos , além de modular as funções mentais e físicas;

3- Sua existência no espaço universal.

Para Nakamura Sensei, segundo seu estudo da fisiologia de Ki, o Hara no Tanden seria o ponto de maior concentração de desta “energia”, a onde ela se condensa para depois se dirigir para os Tanden superiores, através da modulação da respiração.

Michio Kuchi Sensei postulava que:

“Ki é o fundamento ou fonte do mundo relativo, à semelhança dos átomos, que já foram considerados a substância básica da matéria. Assim, todas as manifestações da Natureza (inclusive as qualidades mais sutis da emoção, mente e espírito), são produtos de Ki.”

Ueshiba O’Sensei afirmava que:

“Do interior da Unicidade provém a primeira centelha de vida e de consciência. Daquele ponto, partículas infinitesimais de Ki, irradiando energia vital, começam a delinear um grande circulo em torno dessa primeira centelha.”

No Ocidente temos a idéia de Ki estar associado apenas ao conceito de energia, porem, se analisarmos a estruturação de seu Kanji, podemos ver que este caractere possui muitos conceitos implícitos, daí devemos estudá-lo a partir da sua antiga caligrafia, para podermos compreender melhor.

Na sua parte superior, encontramos os radical ki (ou ke), cujo o significado é ‘vapor, respiração e ar’. Na sua porção inferior, encontramos bei (ou Mai), que significa ‘arroz’, kanji este que possui outro ki (ou boku ou moku), que significa ‘arvore’.

Abaixo podemos ver a composição deste kanji:



O kanji completo tem o sentido de energia ligado a respiração, ao ar que nos circunda, ao vapor; ao mesmo tempo nos lembra da energia dos alimentos, que nos traz vitalidade. Esta vitalidade, que brota da Terra.



Interessante observar que este outro Kanji, que é usado o termo vapor, tem caractere da água incorporado ao radical superior, porem não apresenta o caractere arroz na sua composição.  


Lübeck Sensei e Hosak Sensei nos trazem um conceito de totalidade, ao fazer um estudo deste kanji, afirmando que:

“O grão de arroz é a semente de uma planta, não a planta em si. O grão de arroz se torna uma planta quando as energias da Terra e dos Céus se unificam.”

No conceito chinês da Antiguidade, Ki ou Chi é essência, substância, e energia espiritual, vapor, alma, etc.. Assim, o corpo físico conteria o Ki e Ki está ou se unifica ao espírito, sem forma e intangível ;sendo a ponte entre matéria e espírito.

Além da respiração e alimentação, outra forma de haver troca de Ki seria através do Hara no Tanden, por isso muitas Escolas associam a prática de exercícios para tal fim.

Termino com a frase de Morihei Ueshiba O’Sensei:

“Quando a pessoa compreende a função da energia Ki em espiral e treina a si mesma na verdade do Espírito, cria-se Aiki.”

Bons estudos.

Oss.

Baseado em artigos de Michio Kushi Sensei, de Morihei Ueshiba O’Sensei, de Walter Lübeck Sensei e Mark Hosak Sensei.

4 comentários:

  1. Buenos días Ricardo,
    Muchas gracias por tu gran explicación sobre la palabra Ki que siempre tendrá un sentido misterioso para nosotros los occidentales. A mi siempre me recuerda a la gran energía que se encuentra en la orilla del mar.
    Un abrazo y buen fin de semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas Tardes, Carina,
      Creo que este es un tema inagotable pero me encanta el Camino del Corazón, para el cual nos indican los Maestros porque para tener el libre flujo de Ki, esa via (o práctica) se hace necesaria.
      Muchas gracias por tu comentário y un buen finde para tim también.

      Excluir
  2. Yo todavía estoy muy lejos de comprender bien el significado del Ki, pero con arículos acomo este me siento un pasito más cerca. Muchas gracias Ricardo.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas tardesm Guillermo,
      Más una vez, felicidades por tu grado en Aikido.
      El estudio de "Ki" sirve para complementar nuestra práctica del día a día. Es un concepto que se adquiere por la práctica, que es la más importante. Ya lo experimenta a cada entrenamiento, a cada día, estás cada vez más cerca.
      Gracias por tu comentario.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails