Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

domingo, 13 de janeiro de 2013

O Discípulo e o Kalama Sutra















Muitos autores e Mestres citam o Kalama Sutra, como referencia, durante seus ensinamentos. Diz a Tradição, que Siddartha Gautama estava vagando pelo país de Kosala na companhia de uma comunidade de monges; ao passarem pela aldeia de Kesaputta. Os habitantes, os Kalamas, convidam o Mestre a entrar na aldeia e o saudam: 


"Mestre Gautama, filho dos Sakiyas, totalmente Iluminado, dotado de sabedoria e disciplina, conhecedor dos planos da Existência, guia incomparável, a quem claramente compreendido através do conhecimento direto.”

Assim, Siddartha entra na aldeia, seguido dos monges, aonde se alojaram na estupa de Kesariya, aonde comeriam e pernoitariam. Os aldeões logo começaram fazer pedidos de conselhos; dentre vários, foi-lhe perguntado:

“Oh, Iluminado, muitos gurus vêm até aqui, pregam ensinamentos e dizem que os anteriores só nos ensinaram erroneamente. Que ensinamentos ou mestres devemos seguir? Quais mestres falam a verdade?”

Em resposta, Buddha Gautama lhes explica que não se devem deixar ser convencidos pelas experiências dos outros ou pelo que os outros dizem; tão pouco pelo o que já está escrito, sem antes investigar.

“Não creiais no que foi adquirido por audição repetida, nem na tradição, nem em rumores, nem no que está em uma escritura, nem sobre conjecturas, nem sobre um axioma, nem em raciocínio especial, nem em um preconceito, nem uma noção que seja ponderada, nem sobre aparentes habilidades de outrem,
nem sobre a consideração. Kalamas; depois do discípulo ter experimentado e refletido por si mesmo, de que algo é bom, de que não faz mal, de que estas coisas conduzem ao benefício e felicidade: entrai e permanecei neles".

Desta maneira, Gautama mostrava que o conhecimento não deve ser imediatamente visto sem uma investigação, com mais aprofundamento, pois o conhecimento direto nos faria evitar falácias. Vários estudiosos da Tradição interpretam estas fontes, como: Tradição oral, Tradição escrita, origem das novidades e notícias, escrituras ou outros textos oficiais, Raciocínio hipotético, Dogmatismo filosófico, crenças de senso comum, opiniões próprias, especialistas, autoridades ou nosso próprio mestre.

Mas para isto, não pode haver preconceitos, ressentimentos, rancor; mantendo sempre a mente aberta e o respeito ao próximo, como Siddartha Gautama diz:

“O discípulo, que desta forma está livre da ganância, livre de rancor (má vontade), livre da ignorância, claramente compreendendo e atento, permanece, tendo amizade com a propagação do pensamento de um; tal como o de um segundo, da mesma forma um terceiro, da mesma forma um quarto; então para cima, para baixo e tudo ao redor, ele permanece, tendo se espalhado devido à existência de todos os seres vivos, em toda parte, do mundo inteiro, com o grande, exaltado, ilimitado pensamento de amizade, que é livre de ódio ou malícia."

"Ele vive, difundindo, com o pensamento de compaixão, com o pensamento de alegria solidaria, com o pensamento de equanimidade, pensamento sem limites de equanimidade, que é livre de ódio ou malícia."

"O discípulo que tem uma mente livre de ódio, uma mente livre de malícia, uma mente tão imaculado, uma mente tão purificada, é aquele que encontra consolo aqui e agora."

Boa Reflexão.

Oss.

Baseados em textos sobre o Kalama Sutra

4 comentários:

  1. Buenas noches Ricardo
    Muchas gracias por compartir este texto, es cierto un buen maestro es aquel que te anima a pensar, te da una base para reflexionar sobre ella.
    un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas tardes, Carina,
      Se dice que la función del maestro es estimular el discipulo y, al mismo tiempo,saber esperar el tiempo requerido para que el discípulo llegue a la conciencia a través de la propia experiencia.
      Gracias por tu participación.
      Abrazo.

      Excluir
  2. Una gran lección!

    Gracias por compartir Ricardo.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas tardes, Guillermo,
      Sí, es una gran lección para todos nosotros. Sólo nuestra experiencia personal es que puede conducirnos.
      Gracias por tu participación.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails