Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

sábado, 15 de setembro de 2012

Fluxo de Energia e Kokyu

































Li um artigo que citava que se a técnica de Kokyu, durante a prática, é boa, então o fluxo de energia é feito corretamente; simplesmente a partir de uma respiração profunda, durante a movimentação, aliado a um bom alinhamento de quadris e coluna, nos levando a precisão da técnica.

Não se pode dizer que “trabalhamos” ou “aperfeiçoamos” Kokyu, ele simplesmente acontece; cada vez mais que praticamos, o fluxo e a respiração se harmonizam, podemos observar estabelecer um ritmo.

Dizia Ueshiba O-Sensei que Kokyu é a respiração vivificante de Deus, a respiração dos complementares, com  a alternância entre o Yin e o Yang, entre o Pleno e a Vacuidade; esta alternância entre as polaridades que purificaria todas as coisas.

Kokyu é respirar sob a forma de intercâmbio entre períodos de pleinitude e vazio, é a força condutora da vida, sendo a responsável pela criação corpo (Terra) e mente (Céu), realizando sua harmonização com o Universo; este é o poder do Kokyu.

Segundo Gleason Sensei, este intercâmbio constante entre os complementares governaria a Energia Criadora do Universo, criando o princípio de Aiki ou Harmonia Universal, que harmoniza a toda a manifestação visível e invisível.

Uma coisa é imutável, o principio da mudança (intercâmbio), pois Yin e Yang estão sempre renascendo da Unicidade Infinita, donde provém a força e a vitalidade de ambos.

A partir da prática, passamos a perceber a misteriosa dinâmica dos complementares, que é o principio única de Aiki; não tem como ser explicado, apenas pode ser experimentado.

Gleason Sensei nos ensina que Shin Kokyu é uma prática que está além do físico, que atua despertando a capacidade de percepção; é a prática que integra respiração, foco no momento presente, mente e Ki.

O-Sensei sempre ensinou aos seus alunos o poder de Kokyu durante a prática, o fluxo do Ki mantêm a saúde e o vigor:

 “O Poder de Ki reside quando ele é estável e concentrado; se ele está estagnado, reinam a confusão e a malevolência.”

Boa Prática.

Oss.

Baseado em artigos sobre Morihei Ueshiba O-Sensei, e de William Gleason Sensei

2 comentários:

  1. Buenos días Ricardo,
    El artículo tiene mucha razón, lo más importante es la respiración y fluir, pero hacerlo correctamete requiere muchos años de entrenamiento, muchas gracias por compartirlo,
    un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buen día, Carina,
      Sí, Amiga, tenemos que practicar mucho y experimentar. Puedo decir que Kokyu es muy importante, va más allá de la respiración. Nuestros brazos y el cuerpo se energiza, el movimiento se vuelve fluido y suelto.
      Gracias a ti y que tengas un gran día.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails