Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

A Meditação e a Vacuidade





























Shunryu Susuki Sensei nos convida a abandonar todas as nossas idéias preconcebidas, tanto da substancialidade como da existência; além de avaliarmos o conceito de que tudo o que vemos e ouvimos é o que realmente exista, pois devemos considerar a Existência e a Não-Existência.

Sensei nos explica:

 “Dizemos que a verdadeira existência emerge da Vacuidade e retorna à Vacuidade. O que emerge do vazio é verdadeira existência. Devemos atravessar o portal do vazio. (...)

Enquanto tivermos alguma idéia definida ou alguma esperança acerca do futuro, não podemos levar realmente em consideração o momento que existe agora mesmo. (...)

Mas não há trajetória que exista permanentemente. Não há uma trajetória estabelecida para nós. A cada novo momento, temos de encontrar nossa própria trajetória. Qualquer idéia de perfeição, ou de trajetória perfeita estabelecida por outrem, não é o verdadeiro caminho para nós.

Cada um de nós deve fazer seu próprio caminho e, quando o fazemos, esse caminho expressar o Caminho Universal. Eis o mistério. (...) Para sermos independentes nesse sentido verdadeiro, temos que deixar de lado tudo o que temos na mente e descobrir algo de novo e distinto, momento após momento. (...)

Por isso dizemos que a verdadeira compreensão emerge do vazio. (...) Se você procurar a liberdade, não pode encontrá-la A própria liberdade absoluta é necessária para se obter a absoluta liberdade. (...)

Concentração significa liberdade. Portanto, seu esforço deveria ser dirigido ao nada. Você deve se concentrar no nada. Na prática do Zazen, dizemos que sua mente tem de estar concentrada na sua respiração, mas a maneira de manter sua mente na respiração é esquecer tudo a respeito de você mesmo e apenas sentar-se, percebendo sua respiração. Concentrando-se na respiração, você esquecerá a si próprio, e esquecendo-se de si mesmo, se concentrará na respiração. Não sei o que vem primeiro. Na verdade, não há necessidade de se esforçar muito para se concentrar na respiração. Simplesmente, faça o que lhe for possível. Se continuar com essa prática, você experimentará a verdadeira existência que emerge da Vacuidade.”

Boa Prática.

Oss.

Baseado no texto de Shunryu Suzuki Sensei sobre a Vacuidade, em “Mente Zen, Mente de Principiante”.

2 comentários:

  1. Muy interesante el concepto de abandonar todas nuestras ideas preconcebidas. Gracias por compartirlo Ricardo
    un abrazo

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails