Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

sexta-feira, 1 de junho de 2012

A Mente e o Mestre
















Mestre  Hsüan-Chien, era um brilhante estudante do Budismo, tornou-se muito hábil em analisar escritos complexos, e se considerava um grande perito sobre a filosofia Budista. Tinha memorizado o Sutra do Diamante, podendo recitá-lo todo; escreveu um longo trabalho, com comentários sobre tal sutra. 

Um dia foi para Hunan,pois lá estava um grande sábio com uma visão completamente antagônica a dele.  
No caminho, encontrou uma velha senhora que fazia e vendia bolinhos de arroz. Com muita fome, pediu a senhora alguns bolinhos. A vendedora, reparou que o jovem carregava diversos escritos:

"Que estás carregando? "- ela pergunta

"Minha versão sobre o sentido verdadeiro do Sutra do Diamante, mas a senhora não sabe nada sobre esses assuntos profundos."- responde o Mestre.

"Então, jovem sábio,  farei uma pergunta, se responderes, lhe darei os bolinhos de graça. Caso não, não vou lhe vender os bolinhos." – propõe a vendedora. 

"Está escrito no Sutra do Diamante, que a Mente do passado é inatingível, a Mente do futuro é inatingível e a Mente do presente é inatingível; então: com qual Mente vais se alimentar?" -
continua a senhora.

Estupefato, Hsüan-chien não soube o que dizer e a velha senhora partiu.

“Qual mente?  O que o mestre fez a seguir?”- pensamentos como estes podem ocorrer. Não existe resposta, qualquer resposta, percebeu o jovem sábio, seria estar focado em si próprio.

Só existe “mente”, nada mais; o restante é quando estamos totalmente identificados (minha mente, aquela mente); pois tendemos a “manipular a mente”.

Hsüan-chien percebeu que estava aprisionado no seu próprio conceito de mente, de tanto procurar a Sabedoria. Toda experiência é impessoal, assim como a mente.

Certa vez, perguntado sobre qual o Caminho (Realidade Absoluta), Mestre Nan Ch'üan respondeu a seus discípulos:
 "A mente comum, esse é o Caminho".

Boa Reflexão.

Oss.

Baseados em textos Zen sobre a mente.

2 comentários:

  1. Buenos días Ricardo,
    Muy buen ejemplo para reflexionar, gracias por compartirlo.
    Buen fin de semana!

    ResponderExcluir
  2. Gracias, Carina.
    Que tengas un optimo dia.
    Abrazo.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails