Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Mente Zen e Shugyo

















Esta expressão japonesa Shugyo,  traz o conceito de "treino intenso", “prática intensa” ou "ascese". Entre os samurais o Shugyo fazia parte do Bushido, substituindo os exercícios tradicionais que poderiam causar a morte por treinamento intenso.

Segundo Takuan Soho Sensei, a essência do ser, não pode ser encontrada através da prática marcial, sendo necessário o Shugyo, este estado de concentração que possui diversas expressões – ser altruísta, estar em satori, esvaziar-se, ser fluxo, ser observação, etc...

O Zazen também é considerado uma forma de Shugyo, mesmo sendo considerado um método sem método. Devemos, também, praticar o Shugyo, no sentido de "polir a mente" para acessar a unidade corpo-mente-alma.

Mestre Myôchô Sôhô (Daito-kokushi), fundador do Templo Zen da linhagem Rinzai em Quioto, escreve estas palavras, próximo a sua morte:

“Cortando os grandes mestres Zen ao meio –

Polindo uma navalha - afiando espada o tempo todo;

Aonde é totalmente inexprimível em palavras

Colmilhos mordem o céu vazio.

Mesmo depois de alcançada a Iluminação.” 

Explicava que “os mestres ainda continuam, mesmo após a iluminação, a polir aonde nada há para polir.  Eles nada tem a dizer, assim palavras são jogadas fora, e eles nem mesmo abrem suas bocas. Assim, nem Buda pode perturbá-los; Buda provavelmente abaixa a cabeça em profunda gratidão. Mas ao rejeitar os Budas e os Patriarcas, não negligenciem o Shugyo. ”

Boa Reflexão.

Oss.

Baseado em artigos sobre o Zen e o  “Método Zen” de Atsunobu Tomomatsu.

 

2 comentários:

  1. Buenas tardes Ricardo, me parece muy interesante el concepto, aunque es dificil de entenderlo, gracias por compartirlo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimada Amiga Carina,
      En este artículo, los maestros Zen quiere demostrar la importancia de la práctica (Shugyo) para adquirir
      la conciencia, así como después de ella. Myocho Sensei utiliza un koan, para demuestrar que estamos listos, pero el koan no puede ser entendido, tiene un significado único para cada uno. Lo importante es la práctica, la meditación y la respiración, en la práctica se pretende hacer aparecer la técnica propia de cada practicante, expresando su propia naturaleza, el Camino de La Conciencia (como indica Takuan Sensei. Gracias a ti.
      Buen fin de semana.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails