Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

sábado, 7 de abril de 2012

Meditação e Respiração





















“Seguindo a respiração, você simplemente sente as sensações físicas da respiração, e quando percebe que a atenção se dispersou, observa o pensamento e reconduz a atenção para a respiração. (...) 

Observe que a respiração não é algo que você precise fazer. Consciência clara é o ambiente dos nossos pensamentos errantes. Quando, em vez de prender ou expulsar os pensamentos, simplesmente os observamos e os deixamos ir, a consciência clara se revela.

. Assuma uma posição sentada que lhe permita ficar com a coluna ereta,

manter-se estável e completamente imóvel.

. Fique com os olhos abertos, o olhar inclinado num ângulo de 45 graus, ligeiramente desfocado, pálpebras caídas.

. Respire uma ou duas vezes, lenta e profundamente. Depois continue a respirar normalmente.

. Coloque a atenção no Hara (cerca de 5 cm abaixo do umbigo).

. Fique atento à respiração - às sensações físicas de cada respiração.

. Ao perceber que a atenção se desviou da respiração, observe o pensamento e reconduza suavemente a atenção para a respiração. (...)

Em nossa vida cotidiana, os nossos pensamentos estão quase sempre agitados. Na prática do Zen, assentamos repetidamente a mente para que os pensamentos se acomodem, voltando a atenção para a respiração. Observamos os pensamentos agitados e assentamos a mente, e assim por diante.(...)

Observe o pensamento,

volte à respiração,

observe o pensamento,

volte à respiração,

observe o pensamento,

volte à respiração..."

Boa Prática.

Oss.

Baseado no texto de Kim Boykin, do livro Zen para Cristãos.

2 comentários:

  1. Gracias por compartirlo, los pensamientos siempre vuelven y hay que aceptarlos, verlos pasar como si uno estuviera sentado en un tren y ve pasar el paisaje por la ventana, sin detenerse en ningún lugar, ningún pensamiento. Felices Pascuas!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails