Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

sexta-feira, 4 de março de 2011

A Mente e A Realidade



Como explicava Inoue Sensei, a Realidade é Fluxo, nada além disso; o resto é criação da mente, através da ilusão egoica. No Zen, simplesmente constatamos a Realidade, nada mais. É através da prática Afinidade com o Universo que obtemos a Consciência de que tudo é Fluxo. Se engana de que o “estudo” da energia vai trazer o “domínio da vida”, isto é ego, como Inoue Sensei nos aponta.

Swami Naseeb nos explica muito bem isto através de seu artigo sobre os aspectos da Realidade:

“... a Realidade não é pessoal, podemos dizer mais uma coisa: o sofrimento é a visão de que tudo é pessoal. O sofrimento é sempre decretado por um ego, por um eu, por uma pessoa que está negando o que está acontecendo.
(......)
A Realidade é um movimento da vida em direção a um novo momento. Mas nós queremos congelar momentos. Queremos fixar emoções. Queremos segurança. Queremos que tudo que está bom continue do mesmo jeito, e tudo que está ruim nunca mais aconteça. Mas a Realidade não é ruim. O que é ruim é o que eu ACHO da Realidade. O que está acontecendo não pode me causar sofrimento, mas sim o que EU ACHO E CONTO PARA MIM MESMO EM MINHA CABEÇA SOBRE O QUE ESTÁ ACONTECENDO. Isso sim cria sofrimento.

E mais: a Realidade não é algo pessoal! Ela não está interessada exatamente em mim, porque eu não existo sozinho, mas sou um feixe de energias que funciona numa rede de freqüências e vibrações chamada corpo/mente. Mas a vida não acontece PARA mim. Essa necessidade de que a vida acontecesse para mim é a FALA DO EGO. O EGO é aquilo em mim que me separa dos outros, da natureza, da vida, de toda conexão natural que tenho com tudo, já que não existo separadamente de absolutamente nada. Se pudéssemos olhar para a nossa volta observando a energia que tudo é, as moléculas em movimento, os elétrons aparecendo aqui e ali, teríamos uma prova clara de que tudo está inter-conectado. O UNIVERSO ESTÁ INTERESSADO NO UNIVERSO COMO UM TODO. O EGO é que está interessado apenas em mim mesmo!

Sim, a realidade é absolutamente simples. Ela é o que é, a cada momento. Se minha parceira me deixou me deixou, como eu reajo? Nós simplesmente não aceitamos. Cremos que há algo errado. Não pode estar certo, afinal está em desacordo com os nossos propósitos! Queríamos viver a vida inteira com aquela pessoa! Ficamos nos perguntando o que fizemos de errado. E nos culpamos, nos magoamos, guardamos no íntimo a sensação de que estamos “pagando” por algo errado que fizemos, ou em alguma “vida passada”, e que na verdade “poderíamos” estar vivendo algo melhor, ou mais especial, e este fato não deveria ter acontecido assim. Não desse modo. Não comigo. Por que comigo?? É incrível a nossa capacidade para negar e brigar com a realidade! O ego sempre diz: “Por que comigo??”

Meu conceito de realidade aqui é bem simples: Aquilo que está acontecendo, mas, SEM AS HISTÓRIAS QUE FAÇO SOBRE AQUILO QUE ESTÁ ACONTECENDO.”

Boa Reflexão,

Oss.

Baseado em entrevistas de Inoue Sensei e nos artigos de Swami Sambodh Naseeb, de 01 março 2011 (http://naodual.blogspot.com/).

3 comentários:

  1. Vemos o sofrimento, o horror, a crueldade do mundo, e imaginamos que podemos trazer a paz, que podemos trazer Satsang para o mundo, jamais suspeitando que o mundo é Satsang, exatamente como é. Não há nenhum mundo separado de você, nenhum "você" à parte do mundo. Todo o horror, toda a crueldade, toda a violência, todo o sofrimento é só seu, é você, é o Ser. O mundo clama por ser liberado de "mim", de todos os "mins" que tanto o sobrecarregam e atormentam. Papaji diz que a única maneira em que podemos ajudar consiste em não gerar a um único pensamento. Por que é tão difícil ouvir isto, tão fácil ignorar?

    trecho retirado de "Satsang, doce e profundo mistério" http://www.riverganga.org/Translations/tr-deep-sweet-mystery-port.shtml

    ResponderExcluir
  2. Oi Ricardo!
    Bom ouvir tuas palavras, meu amigo!
    Estamos todos juntos neste oceano de descobertas infinitas!
    Um grande abraço a você!
    Parabéns pelo blog!
    Naseeb.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado, Naseeb e Nina pelos comentários. Muita Luz.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails