Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

segunda-feira, 21 de março de 2011

Kata e Fluxo: Budo por Okumura Shihan


Shigenobu Okumura Shihan, oitavo Dan da Aikikai, foi discipulo de Inoue Sensei e Aritoshi Murashige Sensei, assim como sua mãe, no período em que o Japão ocupou a Manchúria, entre 1931-1932 iniciou como praticante de Kendo.

Inoue Sensei e Aritoshi Murashige Sensei estavam ensinando no dojo da Polícia de Dairen, que era filiado ao Dai Nihon Budo Senyoakai. Ele tambem testemunhou a exibição conjunta de Morihei Ueshiba Sensei com Inoue Sensei em 1940 e 1942, na Manchúria. Ele treinou com Shioda Sensei, Shirata Sensei, Tomiki Sensei, Ohba Sensei, Tojo Sensei e O-Sensei Ueshiba

Relata que até 1943 treinou a técnica denominada Aiki Budo e\ou Aiki Bujutsu; embora a Arte tinha outras denominações conforme o dojo que treinavam.

Em sua Caminhada, passou a ter uma percepção do Budo e a comparava a filósofos ocidentais como Nietzsche; o “Shu-Ha-Ri” que compara as metáforas do filósofo alemão sobre os estágios da metamorfose da mente humana e da capacidade de nos tornarmos livres.

Para Shigenobu Shihan, estes três estágios seriam: 
A-manter o kata-forma(Shu), 
B-quebrar o kata-forma(Ha), 
C- libertar-se do kata-forma (Ri).
Estes termos são advindos do Zen, sendo que isto se aplicaria não só nas Artes Marciais mas, também na sociedade no geral.  Shihan fazia a comparação com Nietzsche por considerar que os ocidentais compreenderiam melhor.

Existe um texto de Osho, que faz uma comparação, também com base nesta interpretação; comparação esta que parece ser muito clara:

A- Camelo: é o início de tudo, estágio onde se encontra a maioria das pessoas;a mente está exposta aos inumeros conceitos da sociedade, sistemas de educação e religião. Como o camelo, você atravessa o deserto, ruminando estes conceitos acumulados por séculos de humanidade. É o periodo da paciência: para o camelo dura até meses; no homem, anos ou a vida toda. Geralmente não tem capacidade crítica e esteriotipa (copia) os outros; é aquele que treina incessantemente ser “igual” àquela pessoa que a sociedade julga “modelo ideal”, sempre preso na forma.

B- Leão: poucos chegam a esta fase, são criativos e inéditos; quebram conceitos e regras. Têm uma tendencia a liderança, evolui das massas e se faz por si mesmo. Ele é basicamente mental e egóico.sendo mais razão que emoção. O problema é que ele ainda está preso ao que é contra; dedica-se atéa morte por seu ideal. Sua técnica ainda está presa à mente; quebra mas não trancende a forma.

C- Recem- nato ou mente de iniciante: são muitos poucos, transformação interna absolutamente radical. Você continua a fazer isso até o dia que “acontece”, alcança um nível ainda mais alto, tornando-se verdadeiramente livre. Quando se movimenta, executa-se a técnica sem tê-la pensado; ela flui, tudo é fluxo. Muitos deles já nascem livres, todos nascemos livres.

Boa reflexão.

Oss.

Baseado em entrevistas a Stanley Pranin e livro Sabedoria das Areias, Osho.

2 comentários:

  1. Buenas tardes Ricardo,

    Muchas gracias por compartir este instructivo artículo, es verdad que la mayoría copiamos y en lo que se refiere a Kata el otro día leí que los japoneses lo utilizan para todo, no sólo en Budo,desde pequeños se les enseña a copiar. Es verdad que pocos son los que se atreven a la segunda fase y ni hablar de la tercera,
    un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola, Carina,
      Es verdad que la tercera fase es la más dificil, pero mi Shihan nos estimula a hace-lo: olvidar la forma.
      Gracias por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails