Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Zen: Meditação e Observação


Respondendo a muitas perguntas, vou comentar como vemos a meditação. Como anteriormente falado, não existe propriamente “ A Técnica de Meditação”; existe a prática da observação, estando a mente pacificada. Vou usar analogias, a partir de fatos reais, para melhor exemplificar.

Estando numa praia deserta, num lindo dia de sol, você se senta na areia e fica contemplando aquele céu com nuvens. Mente vazia é olhar para o céu com ou sem nuvens, nuvens que mudam de forma e, até, se dissiparem. 

Analisar e "ver" formas nas nuvens,fazendo correlações e analogias, é um vício da mente. A mente  quer “ver” formas, fazer correlações e analogias. 

 Se você consegue “ver” apenas nuvens (sem atribuir valores como: lindas ou grosseiras, redondas ou ovais, carneiros ou cirros, claras ou escuras, isto ou aquilo, etc) é bom; atributos são relativos à mente.

Atenção, se você acha que as nuvens se agrupam ou se dissipam porque você as olha: ego muito presente. As nuvens são apenas nuvens; são o que são e fazem o que fazem independente de você estar ali ou não. A única diferença é que você está ali, observando; o mesmo aconteceria sem você estar ali, o ego é que cria a fantasia.

Deixe-se ser apenas observação, não mais observador; apenas observação.

Após um período, o céu e as nuvens deixam de ser “céu” e “nuvens”; você observa simplesmente aquilo que é. Observação, silêncio da mente. Porem você está consciente do todo a sua volta, no dentro e no fora; agora não existe dentro e fora.

Suponhamos que num dado instante, um veículo entra na praia, deslizando pela areia, vai se aproximando e você observa. Se você apenas constata, isso é muito bom; se você começa a avaliar o estado do carro, a marca dele, a cor, se é feito ou bonito: é mente novamente.

Pior é a situação quando vem a mente a idéia de que “o carro nada fará comigo, pois estou numa freqüência que tudo está sob controle”: é ego exacerbado, pois ignora que existe outrem na direção. Situação igual é pensar que o carro vem em “sua” direção porque “sua” freqüência não estava boa.   O veículo fará trajeto que tiver que fazer, independente do que você achar ou não; se ele estiver muito próximo, você simplesmente se levanta, apenas isso.

Na observação, como diz Satyaprem, não há observador; pois isto ainda é um atributo do ego. Sermos simplesmente observação, deixar o movimento do fluxo da Existência se manifestar. Então "observador", "meditador", "atribuidor" , “eu”, “meu”, “seu”, nada mais é que estar se fixando no ego; logo o fluxo se congela. A Existência é movimento livre.

Seja observação. Tudo é aquilo que é; só isso. Observação do “céu” e “nuvens”; só isso. Não há manual, não há estudo; só existe a prática. Então, que tal experimentar?

Oss.

Baseado em artigos de Satyaprem, Osho e Zen

4 comentários:

  1. É uma grande alegria conhecer seu blog e seus magníficos textos, que transmitem pura sabedoria para a compreensão d'Aquilo que somos.
    Namastê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito Obrigado por seu comentário, Amigo. Desejo muito sucesso para você também.
      Abraço.

      Excluir
  2. Hola Ricardo,
    Muchas gracias por esta reflexión que nos enseña a meditar, eso es simplemente observar lo que pasa,
    un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas Tardes, Carina,
      Si, meditar es solamente ser observación.
      Muchas gracias a ti por tu comentário.
      Que tengas un excelente día.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails