Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Clã Inoue na História


























Este Clã é muito antigo, pois seu kamon demonstra que eram Yabusame (Arqueiros montados), característico dos primeiros clãs samurais. Passa da quinta posição para quarta posição hierárquica, devido as suas habilidades marciais e táticas, lealdade e habilidades com finanças.
Na era Medieval teve vários ramos pelo Japão, com vários Daimyos. No século 19, ocupa cargos políticos de destaque, ligados a economia do Japão; na época Meiji, muitos se tornaram Viscondes e Marqueses.
Este Clã tem seu nome mencionado já no período Nara e começou a ficar proeminente no período Kamakura; são tidos como prováveis descendentes dos Seiwa Genji, que foi fundado por Minamoto Mitsunaka no período Heian. Encontramos referencia do Clã Inoue data do inicio do século 15, com Inoue Kawachi-no-Kami Mitsukane, em Sihano.
No ramo de Hamamatsu encontraremos nomes como Inoue Masari (1577-1628), terceiro filho de Inoue Kioyhide; e Inoue Masanao (1837 – 1904), que foi o último Daimyo, que se tornou visconde no período Meiji.
No ramo de Shimotsuma, que foi estabelecido em 1712, encontramos Inoue Masanaga (654 – 1721), terceiro filho do Daimyo de Gujo, Inoue Masato. O ultimo Daimyo foi Inoue Masaoto (1851-1921), também recebendo o título de Visconde.
No ramo de Takaoka, estabelecido em 1649, foi Daimyo Inoue Masashige (1585-1661), quarto filho de Inoue Kioyhide. O último Daimyo foi Inoue Masayori (1854-1904), que coordenou as primeiras forças policiais do Periodo Meiji, recebendo o título de Visconde.
Como vimos, os Inoue começam a mudar de atividades na era Meiji, passam a se dedicar área financeira, área industrial e de empreendimentos imobiliários, aumentando muito a fortuna dos segmentos deste Clã.
Inoue Kaoru (1836-1915) foi um político muito ativo no período Meiji, recebendo o título de Marquês. Estudou na Inglaterra. Foi chamado para negociar com a frota internacional (Estados Unidos, Grã-Bretanha, Holanda e França) que bombardeou áreas do Japão. Participou, também, nas negociações dos Clãs Samurai com o governo Central, conseguindo o armistício e estabilizando o Japão.
Inoue Junnosuke (1869-1932), financista e político na época Taishö e Shöwa. Estudou práticas financeiras na Inglaterra. Foi presidente do Banco de Espécimes de Yokohama, em 1913. Nomeado presidente do Banco Central em 1919, posteriormente, Ministro das Finanças em 1923 e em 1929.
Inoue Shigeoyshi (1889-1975), foi adido naval em diversos países como Suiça, França e Itália. Brilhante oficial, poliglota e atuou em várias ações diplomáticas. Era muito admirado pelo Almirante Yamamoto, que o elevou a almirante comandante da quarta frota japonesa durante a segunda grande guerra; chegando a ser vice-ministro.
Bom Fim de Semana.
Oss.
Baseado em artigos e enciclopédias sobre samurais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails