Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

domingo, 19 de dezembro de 2010

Kukai ou Kobo Daishi
























Falaremos sobre um personagem muito citado por grandes mestres das Artes Marciais: Kobo Daishi ou Kukai, que nasceu na província de Sanuki (Shikoku) em 774. 

É considerado o fundador do Budismo Shingon. Foi educado pelo seu tio materno que era um estudioso dos textos de Confucio e de clássico chineses confucionistas. 

Em 791, entra em uma escola de orientação confucionista e encontra o mestre Gonso, que lhe introduz no estudo Budismo Esotérico. Posteriormente, Gonso ordena Kukai monge budista, provavelmente aos 20 anos. Quatro anos aos, Kukai escreve a obra Sango Shiiki, onde proclama a superioridade do Budismo sobre as religiões tradicionais, como o Taoismo e o Confucionismo.

Por volta de 804, viajou para a China junto com outro monge que depois seguiria outra vertente do Budismo Esotérico (Budismo Tendai), Saicho (ou Dengyo). Ambos aproveitaram a instalação de uma missão diplomática japonesa na China para aprimorarem seus estudos, porem em mosteiros diferentes. Kukai encontra mestre Huiguo (Keika em japonês) , aprofundando seus estudos na vertente do Budismo Esotérico Zhenya Zhong ( ou Shingon em japonês), que significa Palavras Verdadeiras. 

É o próprio Huiguo que concede o grau de maestria a Kukai, que retorna ao Japão após a morte do mestre decano. Para o Japão foram levados vários textos e objetos (como mandalas), ficando no Templo Kazeon-ji; posteriormente constrói um monastério e primeira escola Shingon no monte Koya. Em 823, torna-se superior do Templo To-ji em Kyoto.

Muitos creditam a Kukai como sendo um dos precursores da criação do silabário Katakana, devido ao seu conhecimento literário, ser poeta e excelente calígrafo.
O termo Palavras Verdadeiras seria uma tradução do sânscrito Mantrayana; se baseia, ainda em dois sutras fundamentais : Mahavairocana e Vajrassekhara.

Dentros dos ensinamentos do Shingon encontramos a utilização do Silabário Siddham e outros ensinamentos vindos da Índia e do Tibet. Os ensinamentos secretos fazem parte do Mikkyo, que são baseados no San Mitsu (Três Mistérios).
Kukai faleceu em 835, e, após sua morte, surgiu a lenda de que ele não teria morrido mas passado para um estado de meditação eterna.

Boa semana.

Oss.

Baseados em artigos sobre o Budismo Shingon.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails