Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

sábado, 20 de novembro de 2010

Zen: Ritmo Biológico e Saúde























Este tópico é muito interessante para nós praticantes de Artes Marciais e todo as pessoas em geral. Muitos se perguntam: que relação tem o Zen com o nosso ritmo biológico? Resposta:toda possível.

A nossa prática e o Zen nos apontam para a integração, e a primeira coisa com que devemos ter atenção é o nosso ritmo biológico. Devemos lembrar que Inoue Sensei falava de termos um ritmo de treinamento para cada época do ano assim como respeitar a nossa fisiológica, nossa constituição individual. A Afinidade começa por aí, não se deve ficar almejando coisas extraordinárias. Devemos nos lembrar que o Zen é a simplicidade e a sensação.

Quando entramos numa rotina de vida extremamente mental; esta mente começa a nos dissociar. O que é isto? Você sente fome, porem tem uma atividade que você (melhor dizendo, sua mente) acha que é prioritária; resultado: você deixar de comer para terminar aquela tarefa. Por que não comer e terminar a tarefa depois? Sua mente diz que a tarefa (que é mental) é mais importante; ela te engana. Você está cansado e tem sono, porem tem outra tarefa que você “deixou” (foi a mente que deixou) para fazer depois do trabalho. Resultado: você deixa de descansar ou fazer uma coisa prazerosa para ceder a mente (ela te enganou de novo). E as coisas continuam caminhando assim, te engolindo; te escravizando na mente.

A dissociação do seu ritmo biológico começa a trazer muitos transtornos: prostração, fadiga crônica, dores musculares, sono ruim (isto quando você não reduz o tempo de sono); hipertensão arterial, baixa da concentração e do rendimento, infecções repetidas, ansiedade, depressão, etc....

O sono é um dos principais reguladores do ritmo biológico, relacionado com os níveis de estímulos de luz ambiental natural. O nosso hormônio cortisol ( secretado pelas glândulas supra-renais) têm relação direta com isto. A quebra de nosso ritmo biológico faz com que ocorra alteração no ciclo deste hormônio, tendo como primeira conseqüência o stress.

Então, ficarmos horas em ambientes fechados, com luz artificial, sem poder acompanhar a variação da luminosidade natural é péssimo, desregula o ritmo do cortisol. Atrasar as refeições, desregula outros hormônios relacionados a digestão e o ciclo da glicose.

Viagens longas de avião, principalmente que atravessam os meridianos, podem desregular nosso ritmo em até quinze dias. Certas situações como pressão social, exigência no trabalho e nos estudos.

Poderia escrever horas sobre esta fisiologia porem o importante na visão Zen é que a mente não nos monopolize; que entremos em contato com as nossas sensações e necessidades mais básicas. Quando usamos a mente repetidamente para negar isto, dissociamos.

Siga o ritmo da respiração, acalme a mente e ouça o seu interior. Como nos ensina Monja Coen: podemos estar em uma grande metrópole, no maior engarrafamento do mundo ou numa situação de trabalho que todos estão apressados; mas você em seu interior vai continuar em contato com seu ritmo natural, respirando, sem se deixar dissociar. A respiração é um ótimo recurso de centramento, pois o ritmo mental está diretamente ligado ao ritmo respiratório.

Boa prática e bom fim de semana.

Oss.

Baseado em textos de Cronobiologia, Inoue Sensei e Monja Coen.

2 comentários:

  1. Buenos días Ricardo,

    Te agradezco mucho que hayas compartido otra vez este gran artículo a tener en cuenta por todos, porque quien no está estresado en estos tiempos en el que todo el mundo tiene prisa,
    un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenos Días, Carina,
      Muy buena tu observacíon. Creo ser muy interesante, lo que nos enseñan en nuestra práctica marcial, cómo el Kokyu, el hace que el ritmo biológico se restaure más rápidamente, incluso en largos viajes.
      Muchas gracias por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails