Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Treinamento, Mente e Dor


Muitos, quando começam a treinar, evitam sentir dor. Alguns perguntam se tem necessidade de sentir dor. Todos estes apresentam medo da dor. Já presenciei, durante a minha jornada, em alguns lugares, pessoas que se tornam agressivas com os colegas, nos treinos, demonstrando que têm medo da dor. De onde vem isto?

A dor é realmente uma reação do corpo mostrando que tem alguma coisa alterada, porem a intensidade da dor é, na maioria das vezes, controlada por um mecanismo da mente denominado “Mecanismo de Comportas”. Devido às várias experiências com dor e a carga emocional que é associada àquela situação "dolorosa", a mente pode amplifica-la ou diminui-la, tendo relação com o nível de ansiedade. Na maioria das vezes, ela é amplificada, muitas vezes exageradamente.

Inoue Sensei, conforme nos relatou Basen Sensei, sabia desta associação, é usava as técnicas, gradativamente, para ensinar aos discípulos que, esvaziando a mente, passamos a "aceitar" a dor. Com a aceitação (não-identificação com a dor), chegamos a "esquecê-la". Não é negação, não. Com a mente vazia esvaziamos toda carga emocional que temos dentro de nós; principalmente àquele ligada as experiências dolorosas. Sem emoção, vem a aceitação; sem o medo, não há agressividade. Neste instante, a agressividade no treino desaparece. 


Nosso Mestre Inoue, utilizava o Nikkajo, com o Deshi de joelhos, como instrumento para aprimoramento. No início muitos estranhavam, com o tempo, todos compreendiam. Sempre desenvolvendo a Afinidade com o Todo e com o Agora, conforme os ensinamentos do Mestre Onisaburo e do Clã Inoue. Mushin, Iki, Tada Ima e Afinidade; apenas isso. Impressionante os relatos dos discípulos célebres de Inoue Sensei, quando citam estes aspectos. Todos nos mostram que é necessário transcender a mente; o que pode ser feito através das Artes Marciais e do Shin’ei Taido.

Vou reproduzir um trecho de Eckhart Tolle que nos fala da associação mente e dor, para melhor refletirem:

"Nenhuma vida é inteiramente isenta de dor e de desgosto. Não será preferível aprender a viver com eles, do que tentar evitá-los?

A maior parte da dor humana é desnecessária. Cria-se a si própria enquanto for a mente inobservada a dirigir a sua vida.

A dor que você criar agora será sempre uma certa forma de não aceitação, uma certa forma de resistência inconsciente aquilo que é. Ao nível do pensamento, a resistência é uma certa forma de julgamento. Ao nível emocional, é uma certa forma de negatividade.

A intensidade da dor depende do grau de resistência ao momento presente, e essa resistência por seu lado depende de quão fortemente você estiver identificado com a sua mente. A mente procura sempre recusar o Agora e fugir a ele. Por outras palavras, quanto mais identificado você estiver com a sua mente, mais sofrerá. Ou poderá colocar a questão deste modo: quanto mais você honrar e aceitar o Agora, mais livre estará da dor, do sofrimento - e da mente egica.

Porque é que a mente recusa ou resiste habitualmente ao Agora? Porque ela não consegue funcionar nem permanecer no poder sem o tempo, que é passado e futuro e, por conseguinte, para ela o Agora representa uma ameaça. De fato, o tempo e a mente são inseparáveis.

(......)

Aceite - e depois atue. Seja o que for que o momento presente contenha, aceite-o como se fosse escolha sua. Trabalhe sempre com ele, não contra ele. Faça dele um amigo e um aliado, e não um inimigo. Milagrosamente, isso transformará toda a sua vida.”

Boa reflexão.

Oss.

Baseado em artigos de Basen Sensei, Inoue Sensei e Eckhart Tolle.

2 comentários:

  1. Buenas noches Ricardo,
    Hace falta de todo en la vida, si no sentimos dolor tampoco nos dariamos cuenta del no dolor, además con el entrenamiento las articulaciones se acostumbran y se vuelven más fuertes, igual que maduramos con el dolor no fisico. Muchas gracias por compartir este artículo
    un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas Noches, Carina,
      Son muy buenos los textos de Eckhart Tolle, es verdad lo que tu has dicho, el dolor actua tanto en aspecto físico cuanto en el mental.
      Gracias por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails