Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Takeda e Inoue Sensei: Fatos


































Certa feita, em uma entrevista, perguntaram a Inoue Sensei o que achava das técnicas de Sokaku Takeda Sensei, quando este ensinava no Dojo na propriedade dos Inoue. Inoue Sensei contou que sempre foi muito sincero e dizia tudo o que pensava para ao seu Mestre; como no dia em que questionou porque tantos kajo ( ikkajo, nikkajo,sankkajo etc..), que assim chegariam a cem ou a mil.  O jovem Inoue, sugeriu ao Mestre iniciar de técnicas básicas (ikkajo) e, pouco a pouco, a pessoa iria evoluindo a partir destas técnicas básicas de primeiro nível; pois sem os conceitos básicos ninguém evolui, dizia ele. 


Ele relatou que Takeda Sensei ouvia suas sugestões, e muitas vezes, ambos iam comer num restaurante muito humilde, o que maravilhava o velho Mestre, que adorava a simplicidade e a autenticidade do local, ao invés dos restaurantes caros em que era convidado pelos outros Deshii. 

Ambos, o jovem Deshi e o Mestre, adoravam comer tempurá com uma tigela de arroz no Daikokuya; e toda vez o Mestre falava:” Ah, lá vem você de novo com suas observações. "A jovialidade, a sagacidade e a simplicidade de Yoichiro Inoue o encantavam, podiam conversar abertamente. O velho Mestre já tinha uma escola consagrada; mas ouvia atentamente as colocações do jovem aprendiz e não o desestimulava a novos pensamentos. Estes idas e conversas naquele restaurante simples eram lembradas como dias muito agradáveis e bons de se recordar.

Quando ambos treinavam, o jovem Yoichiro Inoue mostrava a técnica de seu potente irimi e de todas as técnicas em gyaku que tinha treinado desde pequeno com o seu avô paterno; invertia rápidamente as entradas do Mestre mas mostrava todo o seu respeito por Takeda Sensei sem nunca derrubá-lo nas demonstrações. Sempre brincou muito com o velho Mestre e este ria muito, Inoue foi o único Deshi que fez isto; com os outros, Mestre Takeda era muito rígido e áspero.

Um dia, o jovem Inoue disse que não queria treinar mais aquelas técnicas, para espanto dos outros Deshii mais velhos (que temiam desagradar o Mestre). Takeda Sensei se aproximou dele, riu e disse “Eu vejo. Siga o seu próprio caminho.” Ambos riram.

Muitos não entenderam, acho que ninguém entendeu. Mas os Mestre do Zen entendem plenamente.
Conversaremos isto numa outra oportunidade.


Oss.

Baseado em entrevistas de Inoue Sensei

2 comentários:

  1. Buenos días Ricardo,
    Muchas gracias por compartir estos datos históricos de estos dos grandes maestros,
    un abrazo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas Tardes, Carina,
      Es muy muy interesante.
      Gracias por tu comentário.
      Abrazo.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails