Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Shin Kokyu


Como sabemos, existe o conceito de Kokyu como o movimento de respiração universal, que “cria” a “realidade” a cada instante. 

Em japonês, Iki é respiração (literalmente o Ki ou energia da vontade), derivado do verbo Ikiru (viver), pois sem respiração não há vida. 

Ao praticarmos o Kokyu, fazemos uma “respiração “de Ki a partir do Hara no Tanden; uma extensão máxima ocorre com os braços ligeiramente curvados, quando o Ki do Hara liga-se diretamente aos cotovelos, fluindo para os punhos, mãos e dedos. As mãos se voltam ligeiramente para cima, como segurássemos a katana em Seigan no Kamae. 

Os ombros devem estar ligeiramente arqueados para trás e para baixo, com o tórax aberto; todas as articulações do corpo devem estar liberadas para a energia fluir.

No Shin Kokyu, adotamos uma atitude mais introspectiva, a mente vazia, com a respiração profunda. Os braços bem relaxados à frente do corpo, na altura de Naka no Tanden, na largura dos ombros. Faz-se suave movimentação lateral para fora e para dentro, apenas o suficiente para trocar e trazer Ki para o Tanden. Faz-se a integração do Hara e Naka. A respiração suave, lenta e profunda “desperta” a percepção. 

Nada a controlar, apenas respirar com Mushin e Tada Ima, pois tudo já está integrado.

Bom fim de semana.

Oss.

Baseado nos livro Respiração Oriental de Takashi Nakamura, artigos de Gleason Sensei; artigos de kototama e entrevista de Inoue Sensei a Stanley Pranin

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails