Esta Arte Marcial tem por característica resgatar toda Tradição Marcial dos primórdios da civilização japonesa, quando o homem vivia perfeitamente integrado consigo mesmo e com o Universo. Neste conceito, através do treinamento captamos a energia do Grande Universo e depois passamos a utilizá-la, tendo o centro do corpo como área de difusão. Através da consciência do fluxo de energia tudo é possível e podemos esquecer o uso da força física. Com a meditação, esvaziamos a mente e com a prática do Shin’ei Taido também.

Com a mente e o interior pacificados, não há medo, nem raiva, nem angústia nem pânico; saímos das emoções e dos pensamentos. Se considerarmos isto como objetos do aprisionamento humano, entramos na dimensão da Consciencia, aonde nos conduz o Shin’ei Taido. Tanto homens, mulheres, pessoas de todas as idades podem se integrar nesta prática saudável.

Seguidores

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Shorin Ryu







































Dentro das artes marciais precursoras, devemos falar do Shuri-Te, que era praticado pelos samurais da corte de Shuri, na ilha de Okinawa. Posteriormente, transforma-se em Shorin Ryu no século dezoito. Alguns artigos citam a arte como Toshu Justsu ou Toshu Sakugawa.

Atribui-se o inicio desta Escola ao famoso Hatamoto conhecido como ‘Tode” Sakugawa ( 1733-1815), considerado quem desenvolveu e disseminou o sistema na região. Seu nome vem de mão chinesa ou mão nua, técnica de combate desenvolvida por Shinjo Choken por volta do final do século 16 e inicio do século 17.

 O ensino do Bojutsu aí se desenvolveu, já que os chineses, que ocupavam a região, não permitiam o uso do sabre, e Sakugawa desenvolveu esta técnica com grande maestria.

Quanto ao desenvolvimento do Shorin Ryu, a tradição fala da fusão do Shuri Te com o Kempo dos chineses, quando Sakugawa Sensei se torna discípulo do grande mestre de kempo e representante militar chinês na ilha mestre Kushanku.

Nosso estilo de bo, provem da tradição de Okinawa, passado a mim pelo saudoso Mestre Clóvis, quando treinávamos juntos nos anos setenta.

Bons treinos.

Oss.

Baseados em artigos sobre a tradição e Escolas de Artes Marciais de Okinawa.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Sogobudo e Shin'ei Taido







































A cada dia temos mais artigos publicados, com relatos sobre o desenvolvimento do Shin’ei Taido, geralmente entrevistas com praticantes de karate-do e Shin’ei Taido, alem dos artigos do nosso conhecido Stanley Pranin do Aikido Journal.

Em entrevista ao Legende Mirror, Kenjirou Kotou Kawanabe Sensei nos conta como ele treinou com Egami Sensei e Inoue Sensei. Isto era entre 1954 a 1957, quando Kawanabe Sensei treinava em ambas escolas: o karatê –do no dojo de Egami Sensei e a arte marcial de Inoue Sensei. Tadao Okuyama Sensei foi quem o levou a Inoue e ambos treinavam juntos nos dois dojos. Sabemos que Egami Sensei, buscava uma técnica que não utilizasse tanto a capacidade física, e como afirma Kanawabe Sensei, eles levam Egami Sensei para se juntar a eles no estudo, do agora Shin’ei Taido.

“Com Inoue Sensei, aprendi a essência do Budo, poder e o movimento de ki, o qual é bem diferente da força muscular. (...) O poder e o movimento podem se integrar no corpo com o fluxo da respiração ...”, afirma Kanawabe Sensei.

Sabemos que destes estudos Egami Sensei desenvolveu o conceito do Sogobudo, por volta de 1960. Em 1963 nos fala do conceito do Toate, sem a utilização do contato físico. Egami sensei veio a falecer em 1981 e Inoue Sensei em 1994.

Com a morte de Egami Sensei, sabemos que Hiroyuki Aoki Sensei, lideraria o movimento de integração do karatê-do e as outras artes marciais para a criação das bases do Sogobudo. Com a morte de Inoue Sensei, a corrente do Sogobudo passou a abrigar o Shin’ei Taido.

Tenham uma boa semana.

Oss.

Baseado em entrevista de Kanabe Sensei, artigos sobre Egami Sensei e Aoki Sensei.

Respiração, Ki e Hara

Budo: Técnica por Kawanabe Sensei


sábado, 12 de junho de 2010

Shin'ei Taido por Inoue Sensei


Neste artigo, traduzi e coloquei resumos da entrevista de Inoue Sensei, onde fala que o Shin’ei Taido é um estilo único e um pouco de sua filosofia. 

“Sensei, você poderia nos dar a sua opinião sobre o ensino Shin'ei Taido?"

Inoue Sensei respondeu:"Treino sério diariamente, orando para que nada dê errado. É bom passar um tempo orando ao kami. Um erro pode resultar em perder sua vida ou ferir seu parceiro. Ferir o parceiro, é na realidade uma derrota, você passa a ser o menor dos seres humanos. Este é o verdadeiro espírito das artes marciais japonesas.

Verdadeiro Budo japonês é uma espada de dois gumes. Com a katana de dois gumes você se corta, mas permite que o outro viva. Quando se ouve o termo espada de dois gumes, você pensa que vai cortar seu adversário, mas não bem assim. Quando você desembainha sua espada para cortar seu oponente, num instante você vê se ele se retrai ou não; ou se ele inicia o ataque. Esta é a afinidade que se originou nos tempos antigos do Japão.Com isso, você pode dizer pela primeira vez que a atitude dos japoneses está correta.

Sujeira, mesquinhez nada permanece nos praticantes de nosso dojo, saem no suor. E ninguém foi ferido neste dojo. Se praticas de forma que haja lesões, é melhor parar de praticar. Um bebê é flexível por natureza. Temos de voltar ao estado de criança. Isto é o que os seres humanos deveriam ser. Há os que não se recuperam facilmente quando feridos. Se há suor verdadeiro, nada quebra; suar exala o fundo do nosso ser. (.....)

A prática difere com as estações; se é sempre a mesma, não é verdadeira. Nós somos diferentes a cada época, não somos? (....) Então, a prática difere de acordo com a época em todos os países. Nenhuma prática é igual (1). Dez pessoas têm dez maneiras diferentes de praticar. Minha prática pode ter a mesma aparência quando vista por um terceiro, mas é sempre diferente. Não se pode ensinar matéria do elementar a um aluno do maternal. Não se pode ensinar ao aluno do elementar matéria do ensino médio.Com prática regular começa adquirir verdadeira flexibilidade no corpo. Quando você ganha flexibilidade, você pode começar a usar bokken e bo pela primeira vez. Se seu corpo não é flexível o suficiente, seus ossos vão quebrar ao usar. Se ataco alguém com bokken ou bo, derrubo de imediato.

É um princípio simples que desenvolvi ao longo dos anos. Nada tem a ver com força ou fraqueza. O que é mais forte é a Realidade da Afinidade do Universo. Você vê, se o ki pára, o resultado será terrível. Chamamos isso de "Força da Realidade da Ki" em vez de "Aiki". Estudamos a realidade através de IKI. (....)

A Realidade da Afinidade Universal está em movimento, nunca para. Se pára, tudo morre. Assim, tudo é criado durante este movimento persistente. Aprendi com Onisaburo Deguchi Sensei. O poder virtuoso brota da realidade deste estudo... O homem deve cultivar a coragem, criada por este poder virtuoso. Cultivando bem esta coragem, vai participar de uma miríade de formas na Realidade da Criação. Sem ela, nenhum perito pode criar qualquer coisa de complexidade. Esse é o ponto de início de meus estudos. E mesmo velho não sei tudo. (....)

Meu estilo tem nada a ver com as escolas Shinkage Yagyu-ryu ou Goto-ha Yagyu-ryu. Minha arte não é o hoje denominado Aikido ou outra arte marcial tradicional. (....)

Creio não haver alguém que sabe sobre os velhos tempos (2).A maioria deles já passou. Aos 85 anos retorno ao ponto do início deste estudo, aos 13 anos.”

.........(1) Tada Ima (2) Yamato Damashii?

Oss.

Baseado na entrevista de Stalin Pranin com Inoue Sensei.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Kamae e Maai





















Hoje vamos conversar sobre uma das perguntas mais freqüentes em treinamentos: “Que postura adotar? Qual base?”

O termo Kamae (ou Gamae) é que expressa a idéia de “base”, sendo composto pelos ideogramas com casa e madeira, passando o sentido de uma construção perfeita, que tenhamos uma postura estável do corpo todo: seja mental (atitude) e física. Este estado de postura do corpo inteiro, de prontidão mental e física são designados como Kokoro-kamae (ou Shin-kamae) e Mi-kamae, respectivamente.
No Kamae, os centros do corpo estão todos alinhados: o Tanden da fronte, Tanden do tórax e Hara no Tanden (baixo ventre) através da coluna vertebral. Este alinhamento permite uma estabilidade corporal, independente da disposição dos pés. O Kamae não é pés e mãos, o Kamae é uma atitude que se reflete na postura.

Uma das “atitudes” do Kamae é que ele determina “aberturas”, que “força” Uke a “transitar” por uma delas. Kamae é uma postura relaxada extremamente ativa, parecer estar estático, concentração com mente vazia.

São em número de cinco principais: Jodan, Chudan, Gedan, Hasso e Waki, porem os mais conhecidos nas artes marciais são Jodan no Kamae (guarda alta), Chudan no Kamae (guarda média) e Gedan no Kamae (guarda baixa). Existe também o Mu Kamae (guarda sem guarda), atitude mental e o corpo pronto sem nenhuma postura prévia.
Porem a este conceito está associado outro o de Maai, que significa intervalo ou distancia entre dois oponentes.

Quanto ao Maai podemos também ter três situações: Toma (longa distância), Issoku itto no maai ou Chuma (que é a distância média ou ideal) e Chikama (curta distância).
Chuma é a postura ideal pois estamos a um passo do oponente, toma é uma distância que dificulta a execução da técnica e em Chikama ficamos expostos demais. Podemos nos manter em chuma (também chamado de itto ma em algumas escolas) dando um passo para trás, para frente, para os lados em diagonal se quisermos controlar uke sem utilizarmos uma técnica ou estudá-lo, sempre mantendo a distância de um passo.
Toma é uma atitude de medo, passividade ou fuga.
Chikama pode ser uma atitude de arrojo, valentia e, muitas vezes, de imprudência.

Enfim, com a prática incorporaremos mais estes conceitos.

Bom fim de semana para todos.

Oss.

Estes conceitos foram aprendidos durante os períodos de estudos com vários Mestres assim como com nosso Shihan, além da consulta a muitos artigos de Aikijujutsu, Aikibudo, Kenjutsu, Aikido, Sogobudo, Kendo entres outras artes marciais.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Sokaku Takeda Sensei e Daito-ryu Aiki-jujutsu












































Não poderiamos falar de muitas artes marciais modernas do Japão, sem falarmos de Sokaku Takeda Sensei e o Daito-ryu. Takeda Sensei foi mestre de muitos mestres das diversas correntes de Aikibudo, com Morihei Ueshiba Sensei e Noriaki Inoue Sensei (este sendo uke de Takeda por muito tempo).

Primeiro parece ter se desenvolvido o Taijutsu (A técnica do Corpo), por volta do século dez, termo que designava qualquer técnica corporal sem o uso de armas, sendo várias correntes desenvolvidas em os clãs Samurais.
Geralmente o nome das técnicas era a partir de seu fundador atribuído, do clã ou do lugar de onde eram desenvolvidas; ou mesmo segundo a orientação espiritual dos praticantes.

De uma maneira geral, as artes marciais são divididas em duas correntes:

a      a)Koryu Bujtsu ou Bujutsu – anteriores a 1868, e geralmente portam a designação ryu

b      b)Gendai Budo ou Budo – posteriores a 1868.

A tradição conta que o Daito-ryu, um estilo de Aikijutsu, surgiu por volta do século onze, no clã samurai dos Minamoto.
Shinra Saburo Minamoto no Yoshimitsu, foi quem desenvolveu a técnica, pois reza a tradição que ele dissecava cadaveres de guerreiros mortos em batalha e treinava em condenados à morte. Tinha o propósito de estudar melhor técnicas articulares e como atuar nos pontos vitais ( Kyusho-jutsu ou técnica do ponto vital).

Como desde de pequeno, chamavam-lhe de Daito, alegam que a denominação Daito-ryu provém disto. Os ensinamentos desta Arte,foram transmitidos por gerações, na família Takeda, que alega-se ser um dos ramos do Clã Minamoto, que tinha assumido este nome em certa regiões, assim como os Inoue também provem dos Minamoto. No século dezenove, no periodo Meiji, com a proibição das atividades dos samurais, impedidos de portarem suas espadas, muitas escolas de artes marciais começam a desaparecer. Os Takeda, para não verem sua arte extinta, passaram a lecionar, a partir daquele instante, para o público comum, o que antes era ensinado, em segredo para uma seleta classe militar shogunal.

Naquele século aparece Sokaku Takeda, filho e discipulo do grande mestre Sokichi Takeda, de quem estudou as técnica da espada e das técnicas de Aikijutsu; assim como foi discipulo interno do grande mestre da Escola Kashima Shinden Jikishinkage-ryu de espada, do renomado espadachim Sakakibara Kenkichi. Tambem foi discipulo interno de Saigo Tamono Sensei, mestre em Tenji-Shinyo-ryu (uma escola tradicional de Jujutsu ).
A técnica de Sokaku Takeda, inicialmente passou a ser designada Takeda-Ryu e baseava-se na doutrina espiritual Aiki In Yo Ho, que era baseada nos conceitos energéticos do Tao ( ou Dao ou do).

Takeda Sensei, explicava Principio de Aiki, e que tinha conceitos básicos como: Quando somos empurrados, puxamos;
Quando somos puxados, empurramos.

A prática do Daito-ryu significa um espírito de lentidão e rapidez ao mesmo tempo, de harmonização de seu movimento e ki com o do seu oponente.
Este termo Aiki segundo Tokimune Takeda, o filho de Takeda Sensei, vem sendo utilizado desde os primórdios da cultura japonesa, não sendo exclusivo do Daito-ryu nem de outras Artes Marciais.

Sokaku Takeda Sensei, já falava que a meta primordial do Daito-ryu Aiki-jujutsu quando frente ao adversário é derrota-lo mentalmente, vencer sem lutar.

Boa Semana para todos.

Oss.

Baseado em entrevistas a Stanley Pranin assim como artigos no Aikido Journal, citações de Inoue Sensei e Kisshomaru Ueshiba Doshu, livro de Wagner Bull Sensei Aikido – O Caminho da Sabedoria.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Metsuke e Kokyu


Vamos, hoje, comentar mais duas práticas do dia a dia em nosso dojo. Veremos como tudo se integra, pouco a pouco tudo se incorpora ao nosso conhecimento.

Metsuke (Enzan no metsuke) ou caminho do olhar é um fundamento importante no Shin’ ei Taido e todas as artes marciais tradicionais japonesas. Através deste recurso, passamos o controlar o adversário e nossa postura assim como o Maai.

Muitos falam em olhar olho no olho, encarar o adversário, o que é uma dá uma outra interpretação ao sentido da frase, pois os kanjis japoneses mudaram muito a significação pelos séculos.

Fixando o olhar nos olhos ou na face de Uke, este já me dominou. O olhar tem que ser periférico e central ao mesmo tempo, como se fosse um olhar embaçado ou desfocado, o que não dá nenhuma percepção de nossas intenções e demonstra mente serena.

Muitos mestres falam que em enzan no metsuke – olhar para as montanhas bem distantes, você "visualizaria montanhas" atrás de uke, quando no inicio na nossa caminhada de treinamento. Com o tempo de treino este fundamento é naturalmente incorporado, sem a utilização da "visualização".

A mente tem de estar vazia e com atenção relaxada, assim quando a movimentação de Uke acontece, prontamente re-agiremos sem pré-concepções.

Temos aqui Metsuke-Mushin-Zanshin-Shoshin, tudo numa mesma ação em sintonia com o Kokyu ( nossa respiração relaxada e utilização do Ki- energia, ao mesmo tempo).  Kokyu é uma terminologia

Em Kendo e outras Artes Marciais antigas usam a expressão “kokyu wo totonoeru, shin (ou kokoro) wo totonoeru” seria aproximadamente “pela respiração ou pela energia da respiração, mente-espírito se harmonizam ou preparam” levando ao estado de Mushin.

Kokyu é composto pelos kanjis Ko- inspirar e Kyu- expirar, porem ambos têm o radical (ou raiz) boca, se diz que no Kokyu se absorve a energia (Ki) pela expiração.

Com o kokyu lançamos, utilizamos e absorvemos a energia. Isto está acontecendo o tempo todo porém a maioria pensa que é apenas uma técnica com o uso das mãos, para evitar o ataque o aproximação de uke e iniciarmos um “golpe”. O Kokyu é a chave para tudo no Shin’ei Taido e a maioria das Artes Marciais.

Bem pratiquemos, respiremos sem travar ou reter.

Até a próxima.

Oss.

Este artigo foi baseado em artigos de Kendo, Daito-ryu, Jujutsu, Karate, e Aikido .

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails